- Cidade

Amazonas tem 589 casos de tuberculose no ano

O Amazonas teve, entre janeiro até este final de março , 589 casos de tuberculose registrados, segundo o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) do Ministério da Saúde. Só em Manaus foram 429 notificações da doença. Em meio à pandemia do coronavírus, a Fundação de Vigilância em Saúde alerta para sintomas parecidos entre a tuberculose e o Covid-19.

A enfermidade endêmica no Estado, em um balanço que só contabiliza janeiro e fevereiro deste ano e de 2019, mostra que os números ficaram abaixo. No último ano foram 533 registro. Desta vez, 514.

A diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary Costa Pinto, ressalta que as medidas para prevenir Covid-19 também servem para evitar outras doenças respiratórias.

“Há várias doenças circulando em nossa região incluídas na SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave). Então, é essencial manter os cuidados recomendados para evitar a notificação de novos casos não só de Covid-19, mas também de outras doenças, como a tuberculose, que permanece como um preocupação constante no estado”, avaliou.

Rosemary revela ainda, que a pessoa com tuberculose pode apresentar tosse que ultrapassa 14 dias, que é também o “período de incubação” do novo coronavírus (Sars-CoV-2). “A tuberculose é uma doença oportunista, que se aproveita da baixa imunidade do indivíduo para se instalar, por isso a necessidade de manter a vigilância ativa”, informou.

De acordo com a coordenadora do Programa Estadual de Controle de Tuberculose (Pect/FVS), Marlucia Garrido, tosses prolongadas, com duração maior que 14 dias, devem ser investigadas para outras patologias, principalmente a tuberculose.

“O quadro clínico da tuberculose é muito parecido com o de Covid-19, com a presença de dor no peito, tosse, cansaço, e dor no peito. Enquanto a tosse termina em até 14 dias para Covid-19, na tuberculose a suspeita começa com a tosse além de duas semanas. É comum o doente de tuberculose apresentar febre baixa no final da tarde ou início da noite, sudorese noturna, falta de apetite e perda de peso”, detalhou Marlucia.

Os exames e o tratamento para tuberculose são gratuitos e estão disponíveis em toda rede pública de saúde. A doença tem cura se o tratamento for realizado corretamente, pelo tempo de seis meses, na maioria dos casos.

Campanha

Este ano, o Pect/FVS coordenou a campanha “É hora de vencer a tuberculose no Amazonas” com o objetivo de aumentar a conscientização sobre os efeitos e como a doença pode ser interrompida se tratada em tempo oportuno e adequadamente. Entre as atividades propostas, a programação incluiu um ato de mobilização para difundir informações sobre a doença na avenida Eduardo Ribeiro, no Centro de Manaus. Outras ações em parceria também foram realizadas no interior do estado.

Em Itacoatiara (distante 176 quilômetros a leste de Manaus), pela primeira vez no interior do estado, a Exposição de Tuberculose (ExpoTB) ocorreu de 9 a 13 de março, no Centro Educacional de Tempo Integral (Ceti) Dom Jorge Edward Marskell, onde alunos de 16 escolas estaduais do município tiveram a oportunidade de conhecer os sintomas, medicamentos de tratamento e de combate à tuberculose, além de obter informações sobre a vacina BCG, que previne o organismo contra a moléstia. Ainda na escola, os profissionais de saúde realizaram atividades teóricas e práticas de manejo da tuberculose.

Fonte: G1/AM 


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *