- Cidade

Pesquisadores identificam 17 novas espécies de cogumelos na Amazônia

Uma pesquisa feita com amostras colhidas em toda a Floresta Amazônica identificou 17 novas espécies de cogumelos com potencial comestível e antimicrobiano. Os novos gêneros foram identificados após uma análise realizada em mais de 2 mil amostras de cogumelos por pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisas na Amazônia (Inpa).

O projeto “Macrofungos da Amazônia: taxonomia e triagem de espécies comestíveis e/ou produtoras de compostos antimicrobianos” fez a análise morfológica dos cogumelos. Entre as espécies pesquisadas, foram identificados dois novos gêneros – Pusillumyces gen.nov. e Sclerocarpum gen.nov. – e outras 15 novas espécies de macrofungos.

Além de descrever espécies desconhecidas, os pesquisadores estudaram 27 espécies de cogumelos comestíveis e 23 espécies com atividade antimicrobiana.

Segundo o Inpa, a espécie comestível identificada como “Lentinula raphanica” teve o primeiro cultivo em escala experimental, no mundo, realizado no Amazonas. O intuito era de gerar um produto alimentício a partir da biodiversidade da Floresta Amazônica.

Os cogumelos são uma alternativa econômica viável pelo potencial de uso na indústria alimentícia e por serem fonte de compostos ativos para o desenvolvimento de bioprodutos farmacêuticos. Além disso, eles podem ser usados no artesanato, como é o caso da espécie “Perisi”, uma estrutura de fungo similar a uma fibra comumente usada para fabricar cestarias por índios Yanomami no interior do Amazonas.

O projeto foi desenvolvido no Laboratório de Microbiologia de Alimentos e no Herbário do Inpa, com parceiros nacionais e internacionais, e é fomentado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam).

Ao todo, 15 artigos e dois livros foram publicados com os dados do projeto.

Taxonomia
Os taxonomistas são responsáveis por classificar os seres vivos. Eles fazem pesquisas de campo em busca de espécies que ainda não foram catalogadas pela ciência.

Em uma dessas observações em campo, Tiara Cabral identificou uma nova espécie de cogumelo, a “Geastrum inpaense”, coletada no campus do Inpa em Manaus. “O nome de classificação dado à nova espécie é em homenagem ao local onde foi encontrada, o campus sede do Inpa”, disse Tiara, por meio de assessoria.

Fonte: G1 AM


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *