- Economia

Prejuízo da Embraer cresce 23% e atinge 160 milhões no 1º trimestre

A Embraer registrou um prejuízo líquido atribuído aos acionistas de R$ 160,8 milhões no primeiro trimestre, alta de 23% na comparação anual, segundo informou a fabricante brasileira de aeronaves nesta quarta-feira (15).

Já o prejuízo líquido ajustado (excluindo-se impostos diferidos e itens especiais) foi de R$ 229,9 milhões nos 3 primeiros meses do ano, ante uma perda de R$ 208,9 milhões no 1º trimestre de 2018.

O resultado operacional foi negativo em R$ 53,7 milhões, influenciado pela queda no volume de entregas comerciais no período, que foi parcialmente compensada por uma melhora na rentabilidade no segmento de defesa e segurança e serviços. No primeiro trimestre de 2018, o prejuízo operacional foi menor, de R$ 27,7 milhões, destaca o Valor Online.

A Embraer informou que entregou no 1º trimestre 11 aeronaves comerciais e 11 executivas, número abaixo das 25 entregues no mesmo período do ano passado. Apesar da queda no número total de entregas, a receita líquida da companhia permaneceu estável e ficou em R$ 3,12 bilhões.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) da Embraer recuou 32%, na base anual, para R$ 120,3 milhões.

A dívida líquida subiu para R$ R$ 4,3 bilhões no final do 1º trimestre, ante R$ 1,7 bilhão ao final de 2018.

A carteira de pedidos firmes da Embraer atingiu US$ 16 bilhões no final de março. A empresa manteve a previsão de entregar no ano de 85 a 95 jatos comerciais e de 90 a 110 jatos executivos. A companhia encerrou o primeiro trimestre com carteira de pedidos firmes a entregar (“backlog”) de US$ 16 bilhões. Um ano antes, a carteira era de US$ 19,5 bilhões.

Os números do balanço não consideram os efeitos da separação de ativos e passivos da aviação comercial decorrente da parceria com a americana Boeing. Em fevereiro, os acionistas da companhia aprovaram o acordo sobre a venda da divisão comercial da empresa para a Boeing. Pelo acordo, a Boeing deverá pagar US$ 4,2 bilhões por 80% da nova companhia. A Embraer ficará com os 20% restantes.

Na última semana, a Embraer informou que não iria apresentar as informações financeiras trimestrais (ITR) dentro do prazo da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) justamente por causa da separação dos ativos da área comercial. A previsão é que o ITR seja divulgado no dia 31 de maio, segundo o Valor Online.

Receita por segmento
As receitas da divisão de aviação comercial representaram 34,2% do total da companhia no 1º trimestre, atingindo R$ 1,066 bilhão.

Já o faturamento dos segmento de defesa & segurança e serviços & suporte representaram, respectivamente, 21,8%, e 19,5% do total. As receitas da aviação executiva, por sua vez, corresponderam a 14,4%.

Fonte: G1


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *