- Cidade

Rio Negro alcança cota de 28,38m e dá sinais de início da vazante, em Manaus

Após passar cinco dias com nível estagnado em 28,38 metros, o rio Negro começa a dar sinais de início da vazante. Ele desceu seis centímetros da última quinta-feira (28) até esta segunda-feira (2), de acordo com dados da Serviço Geológico do Brasil (CPRM) .

“É totalmente normal ocorrer a vazante nesse período. Normalmente o rio estabiliza uns 5 dias e começa a descer”, disse a Pesquisadora em Geociências do CPRM, Luna Gripp.

O nível do rio ficou dentro da normalidade, na média estimada de acordo com estudos do Serviço Geológico do Brasil (CPRM). A terceira previsão do órgão apontou que a cota máxima poderia variar entre 28,20 metros à máxima 28,70 metros.

Assim como o Solimões, a cota do Rio Negro deve recuar lentamente nos próximos dias, contudo não há como precisar quanto centímetros ele deve baixar.

Neste ano, o Negro chegou a sua cota máxima, 28,38 metros, no dia 23 de junho. Permanecendo assim, pelos dias 24, 25 26 e na quinta-feira (27). Na última sexta-feira ele começou a descer, chegando a marca de 28,32 metros.

Luna explicou que o comportamento do Rio Negro, no processo de vazante e cheia, é altamente influenciado pelo nível do Rio Solimões.

“Se o Rio Solimões estiver alto, dificulta o escoamento do Negro na região da confluência, levando ao aumento do nível do Negro aqui em Manaus. Se o Solimões estiver baixando, favorece o escoamento do Negro, baixando também os níveis aqui em Manaus”, explicou a pesquisadora.

Ela apontou ainda que a ausência de chuvas influencia na bacia como um todo.

Marca histórica
A maior vazante registrada foi em 2010, quando o rio Negro chegou a cota de 13,63 em outubro, seguido de 1997 que foi de 14,34, no mês de novembro.

“Diferente da cheia, não tem como prever se esta será a vazante maior. A vazante ocorre entre setembro e janeiro, teve ano que ocorreu em setembro em outro ano ela se intensificou em novembro”, apontou a pesquisadora.

Prevenção
Neste ano, apenas dois bairros da capital tiveram suas ruas invadidas pelo Rio Negro. O Departamento de Operações da Defesa Civil informou que os bairros do Educandos e São Jorge receberam a construção de passarelas provisórias.

Em 2017, 16 bairros foram atingidos pela cheia deste ano, prejudicando três mil famílias, de acordo com informações da Defesa Civil de Manaus.

Apesar do rio ter invadido somente ruas desses dois bairros, conforme o Departamento, todos os bairros da cidade de Manaus passíveis de alagação receberam o monitoramento e o atendimento das equipes técnicas dos órgãos integrantes da operação.

Os bairros que receberam a ação foram: Tarumã, Mauazinho, São Jorge, Educandos, Raiz, Betânia, Presidente Vargas, Colônia Antônio Aleixo, Aparecida, Centro, Santo Antônio, Cachoeirinha, Glória, Compensa e Puraquequara.

Fonte: G1


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *