- Economia

Irlanda decide zerar investimentos em combustíveis fósseis

A Irlanda vai zerar, em até 5 anos, todos os investimentos estatais em companhias que produzem combustíveis fósseis, como petróleo, carvão e gás natural. Uma lei aprovada na câmara inferior do Parlamento irlandês na última quinta-feira (12) fará com que o país seja o primeiro do mundo a cumprir o ‘desinvestimento’ em empresas do tipo.

De acordo com a legislação, o fundo nacional de investimentos da Irlanda terá de vender ações em companhias produtoras de combustível fóssil, avaliadas hoje em 8 bilhões de euros (cerca de R$ 36 bilhões) até 2023. O fundo soberano da Noruega também tem feito desinvestimentos semelhantes, mas não há previsão de vender as ações por inteiro.

Onda de aquisições da Shell evidencia corrida por energia limpa
Mudanças de investimento

Autor do projeto de lei, o deputado independente Thomas Pringle comemorou o resultado. Antes de virar legislação, o projeto ainda será votado na câmara superior do Parlamento, mas a tendência é que ele seja aprovado e colocado em prática até o fim deste ano.

“O desinvestimento manda uma mensagem clara, de que o público irlandês e a comunidade internacional estão prontos para agir e pensar além de interesses de curto prazo. Estamos mostrando que existe a necessidade de parar de investir nessa indústria antes que as consequências climáticas se tornem irreversíveis”, disse o parlamentar.

O projeto define que uma companhia de combustível fóssil é aquela que tem 20% ou mais de sua receita baseada na exploração, extração ou refino de combustíveis como petróleo e gás natural. Outro artigo prevê que a Irlanda pode investir em empresas desse tipo se os fundos forem usados para que elas mudem para outras fontes de combustível.

Exemplo da Costa Rica

A mudança de legislação da Irlanda, até então considerado o segundo pior país da Europa em termos de ações ambientais, é semelhante à política adotada pela Costa Rica, que pretende zerar suas emissões de carbono até 2021.

Em maio, o novo presidente do país, Carlos Alvarado, anunciou o plano para a ‘descarbonização’ completa até o ano em que a Costa Rica completa 200 anos de independência. O país já produz 99% de sua eletricidade com formas renováveis, como energia solar, eólica e hidrelétrica.

Em seu discurso da vitória, Alvarado disse que quer remover completamente a gasolina e o óleo diesel dos meios de transporte costarriquenhos.

FONTE: R7


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *