- Esportes

C.O.P.A. FF: “Nosso time era um dos mais desacreditados, motivo de chacota”, diz otrembb após título

Depois de brigar contra o rebaixamento na Liga Brasileira de Free Fire (LBFF), a Black Dragons se redimiu na C.O.P.A. FF. A equipe travou um duelo emocionante contra paiN Gaming e RED Canids, mas saiu com o título. Após a conquista, Luis “otrembb” se disse sem palavras para descrever a emoção.

– Não sei nem o que falar, fico sem palavras neste momento. Meu time é uma seleção e sem o apoio deles eu não conseguiria. O tempo todo eles ficaram me motivando, dizendo “Trem eu confio em você”. Quando a gente pega o Lança [Foguetes, uma das principais armas do jogo], eles já falavam que ganhamos, que a partida era minha. E eu passava por cima – afirmou o jogador em entrevista à transmissão oficial.

Otrembb aproveitou para relembrar as críticas que ele e os companheiros sofreram após a formação do esquadrão.

– O nosso time era um dos mais desacreditados, motivo de chacota. Quando nos juntamos, muita gente desfazia de nós, não nos colocavam nem no top 5, top 6, e eu falei que calaríamos a boca de muitos. Estamos mostrando para o que viemos, a minha seleção é “braba” – cravou.

Abate triplo de Lança contra a RED Canids
– Eu já sabia que eu ia matar todo mundo. Eu perguntei quem tem mais gel, o Jubinha disse que era ele, mandei ele ir na frente e falei que ia matar. Eu sou bastante confiante, fui, meti o Lança e matei. E depois matei o último também. O meu time é uma seleção. A coordenação que a gente jogou hoje, tá doido, todos juntos, não tem como não.

O papel do capitão Phoenix
– O homem hoje estava bem suave. Ele já é bem suave, mas hoje ele falava onde ia fechar, onde ia voltar. Ele ficou até meia noite ontem estudando todas as safes, falava as pontas que deveríamos pegar, onde ia bater, onde ia fechar. Ele acertou tudo hoje. Ele só coordenava o time e a gente [metia] bala. Cada um tem um papel fundamental.

Diferença do time da LBFF para o da C.O.P.A.
– Era outro time que estava jogando a LBFF, tinha os jogadores da Los Grandes. Eu, Rick, Pedro e Jubinha éramos um time, o time academy da BD, e estávamos nos destacando em outros campeonatos. Aí o time de cima começou a oscilar e a gente chegou. Demorou um pouco para encaixar. Na última semana tivemos uma sexta-feira impecável, pegamos cinco top 3, três booyahs, arregaçamos e nos livramos de vez [do rebaixamento na LBFF]. O que faltava para nós era encaixar, porque era o primeiro presencial da maioria. Depois que encaixou, mantivemos o mesmo time, só saiu o Rick. A nossa base vem forte, bastante experiente, estamos no competitivo há mais de dois anos. Acho que o que mais nos ajudou a evoluir foi a confiança do nosso manager, do nosso treinador, do Pings, só tenho a agradecer por terem confiado na gente. Eles investiram, fizeram de tudo mesmo nos momentos ruins, não nos abandonaram e confiaram na gente. Hoje está aí o resultado de todo esse trabalho.

Sétimo lugar no Ranking de Apelões
– Eu fico muito feliz, porque sou aquele cara que joga de Lança, mas não sou apavorado por kill. Nunca me importei com conquistas individuais e coisa do tipo. Eu prefiro “wipar” [eliminar um squad inteiro] o adversário para ajudar meu time, então chegou uma hora que o treinador falou que, se o time ajudasse, eu conseguiria pegar kill. Eu cheguei para ele e falei que não queria kill, queria ser campeão. Eu estar [no Ranking de Apelões] só mostra o quanto eu me esforcei, porque foi muito difícil chegar aqui, não foi fácil. Eu só tenho a agradecer a Deus por tudo.

Fonte: Globo esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *