- Esportes

Em jogo morno, líder França empata sem gols com a Dinamarca, que também avança na Copa

Em um jogo em que o empate servia para os dois, Dinamarca e França ficaram no 0 a 0, nesta terça-feira, no Estádio de Luzhniki, em Moscou. Com isso, os franceses terminam em primeiro lugar no Grupo C da Copa do Mundo, enquanto os dinamarqueses avançam às oitavas na segunda colocação, como desejavam.

Se as equipes ficaram satisfeitas, a maioria do público não gostou do que viu. O jogo foi fraco, com poucos lances de perigo e o torcedor, que não é bobo, vaiou sem piedade a falta de objetividade de ambos.

Agora, Dinamarca e França vão esperar os resultados do Grupo D para saber quem vão enfrentar no primeiro mata-mata. Os franceses jogam sábado, às 11h (de Brasília), em Kazan. Já os nórdigos entram em campo no dia seguinte, às 15h, em Nizhny Novgorod.

Por já estar classificada, a França entrou em campo neta terça-feira com alguns reserva. Pensando nas oitavas, foram preservados o goleiro Lloris, o lateral-direito Pavard, o zagueiro Umtiti, os armadores Pogba e Matuidi e o atacante Mbappé. Entraram, respectivamente, Mandanda, Sidibé, Kimpembe, N’Zonzi, Dembélé e Lemar. A Dinamarca também mudou, pois Poulsen cumpriu suspensão, dando lugar a Braiwhaite, enquanto o volante Schone saiu para a entrada do atacante Cornelius.

Com tantas mudanças, era natural que os times sentissem a falta de entrosamento. Mas não que fossem tão passivos pelo fato de o empate servir aos dois. Sem muita atração em campo, por volta dos 20min a torcida decidiu fazer a ola, ainda mostrando paciência e bom-humor.

Emoção só aos 28min, em bom contra-ataque dinamarquês. Sisto cruzou da esquerda e Eriksen entrou livre na área, mas foi travado por Mandanda. A França respondeu quatro minutos depois em chute de Dembelé, que Schmeichel acompanhou sair pela linha de fundo.

A partida melhorou um pouco daí para frente. Aos 43min, Giroud receu livre de Griezmann, mas chutou por cima ao tentar de primeira, desperdiçando a melhor chance do primeiro tempo.

A etapa final começou com a Dinamarca tendo chance, depois que Mandanda não segurou cobrança de falta de Eriksen de longe. O goleiro francês se recuperou antes que Cornelius conseguisse aproveitar.

REPROVAÇÃO

Como mais nada de emocionante ocorreu a seguir, os torcedores trataram de cantar. Primeiro, os franceses começaram a empurrar o time. Depois, a torcida local se manifestou, mesmo sem sua seleção em campo, gritando ‘Rússia, Rússia’. Por fim, braileiros puxaram o coro de ‘Mil gols, mil gols, mil gols, só Pelé.’

Os torcedores chegaram a gritar aos 24min, quando Fekir fez a rede balançar. Porém, o chute foi para fora. A partir de então, dinamarqueses e franceses passaram a se provocar. Enquanto os nórdicos ensaiaram gritos a cada passe certo de seus atletas, os franceses tentaram abafar com vaias.

A partir dos 35min, com nada ocorrendo em campo e a bola nos pés do goleiro Schmeichel, os apupos foram unânimes. Aos 36min, Fekir bateu da entrada da área e obrigou o camisa 1 dinamarquês a se esticar todo para defender, em um dos poucos lances efetivos do segundo tempo.

Com o apito final, as vaias foram ainda mais fortes. Comemoração mesmo só dos dinamarqueses, que foram até onde estava concentrada parte da torcida para agradecer o apoio.

Fonte: Divulgação


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *