- Esportes

Minas leva susto, mas confirma favoritismo, vence o Osasco por 3 a 1 e sai na frente na semifinal

A Arena do Minas, em Belo Horizonte, recebeu um grande público na noite desta segunda-feira. E o motivo era nobre: semifinal da Superliga Feminina de Vôlei, Minas x Osasco, promessa de um grande jogo. E a expectativa se confirmou. O time sensação da temporada suou, mas venceu o Osasco, que vive um ótimo momento no ano, por 3 sets a 1 (parciais de 25/27, 25/15, 25/17 e 25/13). Foi a quarta vitória do Minas sobre o Osasco nesta temporada – em quatro jogos.

Com a vitória em casa, o Minas saiu na frente na disputa semifinal com Osasco. O próximo jogo está marcado para a próxima segunda-feira, dia 8 de abril, novamente às 21h30 (de Brasília), em São Paulo. Se vencer novamente, o time minastenista garante vaga na final. Se der Osasco, o jogo desempate será em Belo Horizonte, no dia 12 de abril, mais uma vez às 21h30. O Minas tem a vantagem de decidir em casa por ter feito a melhor campanha na fase de classificação.

Enquanto isso, no primeiro jogo da outra semifinal, também deu Minas Gerais no duelo com São Paulo. O Praia Clube derrotou o Sesi-Bauru por 3 sets a 0 e abriu vantagem na disputa por uma vaga na grande decisão.

A levantadora Macris, eleita a melhor jogadora em quadra, destacou, em entrevista ao SporTV, a qualidade coletiva do time do Minas. O troféu Viva Vôlei foi dela, mas poderia ser “um pedacinho de cada”.

– Pra mim o Viva Vôlei tinha que ser um pedacinho de cada uma. É um começo muito bom (na semifinal), mas temos que manter a atenção. A sequência vai ser forte, e não podemos deixar passar isso aí (bom momento). Agora é descansar, focar bastante, porque a gente sabe que elas têm poder de reação – alertou.

Do outro lado, Walewska opinou sobre as falhas do Osasco e convocou a torcida para o segundo jogo.

– Saque, bloqueio e defesa. A gente falhou, jogou taticamente mal. A defesa tem que funcionar. A gente tem que defender mais. Vamos convocar a torcida do Osasco para a gente buscar a vitória dentro de casa.

O JOGO
O primeiro set foi um excelente cartão de visitas. Começou com muito equilíbrio entre os dois times, que estiveram muito próximos no placar o tempo todo até o 7 a 7. O Minas, então, encaixou uma sequência importante, e Carol Gattaz começou a mostrar que estava em uma noite inspirada.

O time da casa sustentou a vantagem e abriu 20 a 16, sempre contando com a variedade e precisão da levantadora Macris, mas o Osasco cumpriu sua estratégia à risca, encaixou bons saques, arriscou, aproveitou a potência e eficiência da americana Hooker e virou o set. Chegou a abrir 23 a 21, mas o Minas buscou mais um empate, e a parcial foi definida com ótimos rallys. Melhor para Osasco, que fechou em 27 a 25.

Ao contrário da primeira parcial, o segundo set teve um domínio evidente do início ao fim. E foi do Minas. O time da casa voltou para o jogo de forma muito mais agressiva, marcando pontos de bloqueio, pontos de saque e explorando bem as opções de ataque. Com isso, abriu uma grande vantagem: 12 a 4. Com oito pontos de frente, o time de BH até teve alguns erros, mas não teve dificuldades para fechar a parcial em 25 a 15 e, com isso, empatar o jogo.

Vale destacar a excelente atuação de Macris, levantadora do Minas. Fez mais um excelente jogo para carimbar a temporada especial que tem feito.

O Osasco, que já havia ameaçado uma reação no fim da segunda parcial, voltou bem para o terceiro set, com Camila Brait calibrada e Hooker inspirada como sempre, assim como Walewska. Acontece que, do outro lado, o Minas voltou ainda melhor. Carol Gattaz seguiu com uma enorme precisão nos ataques e pontuou em todos os fundamentos. Natália apareceu muito bem e foi o destaque da parcial, com incríveis oito pontos marcados no set.

O bloqueio mineiro seguiu funcionando, e o time abriu 16 a 7. Abriu, mais uma vez, uma vantagem confortável. A distância no placar foi administrada sem muitos problemas pelas mineiras, que seguiram superiores na parcial e fecharam o set em 25 a 17.

O roteiro do segundo e terceiro sets apareceu mais uma vez no quarto (o último do jogo): o Minas começou muito bem e abriu uma boa vantagem logo nos primeiros pontos. E o fundamento decisivo foi o bloqueio. O time da casa conseguiu abrir 6 a 1, e quatro dos seis primeiros pontos marcados na parcial foram no bloqueio. Gabi foi o grande destaque do Minas no quesito.

O time do Osasco conseguiu equilibrar as ações, Mari Paraíba apareceu bem e conseguiu uma sequência de pontos, e houve uma ameaça de reação, mas as donas da casa estavam numa noite mais inspirada. O rally disputado no 14 a 8 foi um dos melhores do jogo. As duas defesas salvaram bolas incríveis, mas, assim como no jogo, deu Minas: Mara colocou no chão. Dali para frente, o time mineiro, com muita naturalidade, confirmou o favoritismo e fechou o set em 25 a 13, fechando o jogo.

Fonte: Globo esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *