- Brasil

Araraquara tem ruas vazias e pouca movimentação no 1ª dia útil de confinamento

O primeiro dia útil de ‘lockdown’ em Araraquara (SP) tem ruas vazias e pouca movimentação nesta segunda-feira (22). A cidade enfrenta uma crise hospitalar causada pela Covid-19 com 100% de ocupação de leitos. Ao menos seis pacientes aguardam por internação nesta manhã.

A quarentena total de 60 horas com as restrições mais severas para tentar diminuir o número de casos começou no domingo (21). Durante esta segunda, vários pontos serão fiscalizados ao longo do dia. Nesta manhã, a Avenida Maria Antônia Camargo de Oliveira, a Via Expressa, está fechada nos dois sentidos.

Pelo regras, até às 23h59 de terça-feira (23), está proibida a circulação de carros e pessoas no município, exceto para trabalhar ou para atendimento médico e compra de medicamentos. O descumprimento gera multa de R$ 120 (pessoa física) e R$ 6 mil (empresas).As cidades ao redor, Américo Brasiliense, Boa Esperança do Sul e Santa Lúcia, também decretaram restrição de circulação de carros e pessoas. Para um especialista ouvido pelo G1, a medida não fere o direito constitucional de ir vir.

Araraquara soma 13.454 casos de infecção e 171 mortes desde o início da pandemia. O aumento de casos, internações e mortes pode ter relação com a identificação da variante brasileira do novo coronavírus.O município é o que tem o maior número de confirmações (12 no total) da variante brasileira do novo coronavírus no estado de SP e ela pode ter relação com a alta de casos, internações e mortes, segundo a secretária municipal da Saúde, Eliana Honain.

Em entrevista à EPTV Central, afiliada da TV Globo, o prefeito Edinho Silva (PT), disse na manhã desta segunda-feira que o número de casos da variante identificadas em pacientes contaminados pela Covid-19 pode ter aumentado.O prefeito disse ainda que a taxa de ocupação dos leitos na cidade está em 100% nesta segunda-feira. Ao menos seis pacientes aguardam transferência pela Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (Cross), quatro deles para enfermaria e dois para Unidade de Terapia Intensiva (UTi).

“Esse final de semana nós ampliamos mais de seis leitos, infelizmente todos de uma hora pra outra. Acreditamos que até o final da semana tenhamos conseguido ampliar mais leitos no Pronto-Socorro do Melhado e no Hospital de Campanha. Estamos comprando os equipamentos e dessa forma teremos mais condições de enfrentar a pandemia salvando vidas”, disse o prefeito.Ruas desertas e fiscalização no domingo
A prefeitura classifica o novo momento de restrições como um ‘lockdown’, expressão em inglês que, na tradução literal, significa confinamento ou fechamento total.

No domingo, primeiro dia de restrições mais severas, as principais vias do município ficaram vazias, com pouca movimentação de veículos e nenhum morador caminhando pelas ruas.

Vários pontos de fiscalização estão espalhados pela cidade, como Avenida Bento de Abreu, Avenida Maria Antônia Camargo de Oliveira, Via Expressa, Rua José Barbieri Neto, Avenida Sete de Setembro, entre outras.

Entre 14h e 18h, os fiscais abordaram 71 veículos e 9 pessoas foram notificadas.

Supermercados fechados
No domingo (21), no Jardim Santa Angelina, um supermercado fechou o estacionamento 12h em ponto e somente alguns clientes terminavam o pagamento das compras para deixar o local. Os estabelecimentos só podem funcionar por delivery até terça-feira.

Nos postos de combustíveis, somente a frota de serviços públicos tem atendimento. Uma ambulância foi abastecida no início da tarde.

Moradores fizeram filas na sexta e no sábado (20) em supermercados e postos de combustíveis de diferentes bairros.

Regras da nova quarentena
Só ficam abertos ao público farmácias e estabelecimentos de saúde.
Os ônibus de transporte público não circulam
Os supermercados podem funcionar apenas em sistema de delivery.
Restaurantes não podem funcionar, nem em esquema delivery.
Os postos de combustível atendem exclusivamente abastecimento dos serviços públicos municipais, estaduais e federais, inclusive polícia militar.
É permitida a circulação de pessoas apenas para atendimento médico, comprar medicamentos e ir trabalhar.
Quem descumprir leva multa de R$ 120 (pessoa física) e R$ 6 mil (empresas)
Ficam proibidas todas as atividades comerciais, de prestação de serviços inclusive bancários e industriais, quer para o atendimento presencial, quer para a prática de atividades internas, externas, produtivas, de manutenção, de limpeza ou outra de qualquer natureza, exceto segurança;
Os moradores que estiverem na rua terão que justificar e deverão apresentar, além dos documentos pessoais de identificação e de comprovação de endereço residencial:

nota fiscal da compra ou prescrição médica do medicamento adquirido ou a ser adquirido;
atestado de comparecimento na unidade de saúde de prestação do atendimento ou socorro médico ou prescrição de medicamentos resultante do atendimento;
carteira de trabalho, contracheque, contrato social de empresa que seja sócio, declaração de terceiro com identificação do indivíduo, do declarante e do endereço da prestação dos serviços;
tíquete ou imagem da passagem;
comprovação da urgência ou da necessidade inadiável por qualquer meio ou declaração própria ou de terceiro da ocorrência do fato.
quem não tiver comprovante tem um prazo de 10 dias para apresentar, caso contrário será multado.

Fonte: G1


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *