- Brasil

Chuva forte arrasta motociclista, derruba árvores e deixa imóveis sem energia no DF

O temporal que atingiu o Distrito Federal na madrugada desta quinta-feira (27) deixou ruas alagadas, derrubou árvores, provocou queda de energia em pelo menos três regiões – Guará, Brazlândia e Taguatinga – e ainda arrastou um motociclista.

Uma moradora de Vicente Pires registrou o momento em que um homem foi levado pela força da água depois de cair com a motocicleta na rua 3 da região, que estava alagada.

Já em Taguatinga, próximo à Feira dos Goianos, o lixo se espalhou pelas pistas, que foram tomadas pela água. Na Asa Sul, uma árvore caiu entre o bloco F e a Escola Classe da 405 Sul. Os troncos chegaram a interditar a entrada de veículos no local, e os bombeiros foram acionados para retirá-los.

Um morador da quadra, Cleverson Costa, contou que já havia pedido a poda da árvore à Novacap no início de dezembro, mas a companhia teria respondido que faria o serviço em até 60 dias. Próximo ao endereço, outra árvore despencou e atingiu dois carros.Segundo o Corpo de Bombeiros, ninguém ficou ferido nas ocorrências do Plano Piloto. Os militares informaram que reforçaram à Novacap o pedido de limpeza e corte de árvores na área. A reportagem não conseguiu contato com a companhia até a publicação desta reportagem.

Falta de luz
No Guará, moradores ficaram sem luz. A Companhia Energética de Brasília (CEB) apontou que um raio causou um pico de energia na subestação Guará deixando 54,5 mil domicílios sem energia elétrica. A CEB disse que o problema durou apenas cinco minutos.

Além do Guará, imóveis da Vila São José, em Brazlândia, e da QNL de Taguatinga também enfrentaram falta de luz durante a madrugada.

Previsão
A previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) para esta quinta-feira (27) é de céu nublado, com ventos fracos a moderados. À tarde, o Inmet prevê mais pancadas de chuvas em áreas isoladas.

De acordo com a meteorologista Maria Azevedo, nesta época do ano, as chuvas torrenciais são comuns pela alta umidade do ar. “São as típicas chuvas de verão, que chegam bem fortes, vêm acompanhadas de ventania, com trovoadas e até granizo, mas vão embora rápido.”

O instituto indicou que, antes mesmo da chuva que atingiu o DF na madrugada, já havia chovido na capital federal 148,6 milímetros somente neste mês. A média histórica para dezembro é de 241,5 milímetros.

Fonte: G1


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *