- Brasil

Ciclista negro questiona abordagem por policiais na Avenida Paulista

O ciclista Édrian Santos, que foi parado por policiais militares nesta segunda-feira (19) na Avenida Paulista, região central de São Paulo, questionou a abordagem e perguntou aos policiais se a ação ocorreu por conta da cor de sua pele. Santos, que é negro, afirma que ciclistas brancos que passavam pela via no momento da abordagem não foram questionados.

Em vídeo, Santos registrou parte da abordagem, que ocorreu por volta das 9h da manhã. Perguntados sobre o motivo da ação, os policiais militares disseram ao ciclista que “porque tem muito furto e roubo de celular, a gente costuma abordar as pessoas, ainda mais de bicicleta” (veja vídeo acima).

Santos perguntou então por que seria um suspeito, e se a abordagem teria a ver com sua cor. Os policiais disseram que não havia nenhuma relação com a cor e que, na região, o “pessoal costuma furtar com essas bikes boas”.

Em nota, a assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública (SSP), responsável pela Polícia Militar, afirmou que o “caso mencionado ocorreu de acordo com o procedimento adotado em abordagens anteriores, sem relação com as características físicas das pessoas”.

“A Polícia Militar, por meio do 11º BPM/M, realiza frequentemente operações pela Av. Paulista e também o patrulhamento ostensivo e preventivo, para o combater roubos e furtos de celulares por indivíduos em bicicletas. O caso mencionado ocorreu de acordo com o procedimento adotado em abordagens anteriores, sem relação com as características físicas das pessoas. A Corregedoria da instituição está à disposição, assim como as delegacias, para registrar os fatos”, diz o texto.

Em entrevista ao G1, Santos disse que mostrou seus documentos para os policiais e apresentou o IMEI (número de identificação) do celular, para que os policiais verificassem que o aparelho não era roubado. Ele disse ainda que, após questionar a ação, outros três policiais chegaram. Ele se ofereceu para apresentar a nota fiscal de bicicleta, mas os policiais disseram que não seria necessário e o liberaram em seguida.

Fonte: G1


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *