- Brasil

Educadora constrói casa com garrafas de vidro, em Foz do Iguaçu

O que podia ir para o lixo ou parar no meio ambiente, tornou-se a principal matéria-prima para Dóris Dias realizar o sonho da casa própria, em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. Com mais de 10 mil garrafas recicladas, a “casa de vidro” da educadora social tomou forma e está na reta final da construção, na Vila C.Depois de casar e ganhar parte do terreno dos pais, Dóris fez orçamentos para construir uma casa convencional. Os materiais tradicionais, como madeira e tijolos, afastaram o sonho da iguaçuense, que não tinha condições de arcar com a obra.

Tudo mudou quando a educadora conheceu projetos sustentáveis com casas de garrafas PET e de vidro, em diferentes lugares do mundo, inclusive, no Brasil.

De acordo com Dóris, a ideia da casa de garrafas surgiu depois de fazer a festa de casamento dela, em setembro de 2019, usando materiais recicláveis.

Com doações da comunidade e buscando a matéria-prima pelas ruas de Foz do Iguaçu, ela e o marido, Robson Lopes, juntaram milhares de garrafas e começaram a construção em abril deste ano.

Doações
Por enquanto, o casal mora com os pais de Dóris. Por isso, o novo lugar é tão importante. A educadora está afastada do trabalho por problemas de saúde e ainda não está recebendo do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). O marido, que trabalhava como repositor em um supermercado, está desempregado.

Para conseguir terminar a casa, eles estão com uma campanha online para arrecadação de fundos. Além disso, pedem doações de materiais como como janelas, portas e fios elétricos.O espaço tem cerca de 70 metros quadrados e está sendo construído pelo marido. A sustentação da estrutura foi feita com ferro, as paredes com garrafas de 600 ml e cimento, segundo a educadora. Até o momento, o casal gastou pouco mais de R$ 3 mil.

Enquanto a casa não fica pronta, as roupas e os objetos do casal ficam em um contêiner alugado, do lado de fora da casa dos pais dela.

Os dois deixaram a residência onde moravam por não ter mais condições de pagar aluguel. Os móveis que tinham lá, foram levados para o terreno dos pais de Dóris, mas com a exposição na chuva e sol, acabaram perdendo tudo, segundo ela.Construção
Dóris explicou que a construção não está regularizada, pois não teve recursos para contratar profissionais. Entretanto, destacou que buscará regularizar a casa assim que for possível financeiramente.

De acordo com a Secretaria de Planejamento e Captação de Recursos, a obra pode ser regularizada pela prefeitura até dois anos após a conclusão.

Nos casos de imóveis irregulares, segundo a secretaria, o proprietário deve providenciar o projeto da obra, a documentação de posse do imóvel, os documentos pessoais e protocolar o pedido de regularização na prefeitura.Se houver dúvidas sobre reformas e construções, o município ressalta que o morador deve buscar orientações na secretaria para evitar transtornos futuros com a regularização.

Conforme o secretário de Planejamento, Edinardo Aguiar, o material utilizado para a construção, como as garrafas de vidro, não é analisado no momento de regularização de um projeto, mas o proprietário deve avaliar se esse tipo de material não oferece nenhum risco aos moradores.

Fonte: G1


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *