- Brasil

Enxurrada atinge casas e arrasta carros na Lagoa da Conceição, em Florianópolis

Moradores registraram no início da manhã desta segunda-feira (25) a força e a intensidade da água em um alagamento no bairro Lagoa da Conceição, em Florianópolis. Casas foram atingidas, carros arrastados e a Avenida das Rendeiras, principal via de acesso da região, foi interditada. Segundo o Corpo de Bombeiros, a enxurrada ocorreu por volta das 6h30.

O Corpo de Bombeiros está no local para verificar os prejuízos e resgata moradores que ficaram ilhados com o auxílio de botes. Uma pessoa foi levada ao hospital após sofrer escoriações e outra precisou de atendimento médico no local.

FOTOS: Bombeiros resgatam moradores e animais ilhados em bairro de Florianópolis
Entenda o que aconteceu na Lagoa da Conceição, em Florianópolis
Segundo autoridades, a lagoa artificial de infiltração que recebe efluente tratado da Estação de Tratamento de Esgotos da região rompeu por conta da chuva dos últimos dia cidade. (Veja a arte mais abaixo)

A Servidão Manoel Luiz Duarte, próximo da região central do bairro, é a mais atingida. Casas foram cobertas. Estruturas, vegetação e entulhos também foram carregados e estão sendo levados junto a areia das dunas para o mar. Ao menos seis veículos ficaram completamente submersos.

Segundo Luiz Eduardo Machado, coordenador da Defesa Civil da Capital, o volume da água na região é “assustador, algo nada visto naquela região” antes. O trânsito está com interdições e não há previsão de quando as vias serão desobstruídas. O tenente-Coronel Diogo Bahia Losso, comandante do 1º Batalhão de Bombeiros Militar, informou que duas pessoas necessitaram de atendimento hospitalar. Um homem que se recupera de uma cirurgia foi atendido no local e será levado a casa de familiares.

Outro homem sofreu escoriações pelo corpo e foi encaminhado ao hospital para uma avaliação médica. Até as 9h, as equipes não souberam informar para qual unidade hospitalar a vítima foi levada. As identidades deles também não foram informadas.Segundo Roberta Maas dos Anjos, presidente da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan), com o rompimento da estrutura que trata o esgoto da cidade, a água seguiu o percurso natural, que é a Lagoa da Conceição, às margens da Avenida das Rendeiras.

“A nossa lagoa também acabou recebendo essa chuva. Como aconteceu na cidade em Florianópolis, a gente teve bastante água que subiu nas ruas, e não foi diferente na nossa lagoa de efluente tratado. Então, a nossa lagoa acabou recebendo mais água que o normal”, disse.

Em comunicado após o incidente, a empresa informou que já trabalha para recolar as estruturas que foram danificadas com o rompimento.Devido o bloqueio nos dois sentidos da Avenida das Rendeiras, a integração e horários das linhas do transporte coletivo na região e nas proximidades foram afetadas. Por isso, a prefeitura pede para que os usuários do transporte coletivo acompanhem os horários pelo aplicativo ou site Floripa no Ponto.

A Guarda Municipal de Florianópolis (GMF) segue no local. A orientação é para que pedestres e motoristas evitem se deslocar nos pontos afetados pela chuva para evitar riscos à saúde e acidentes, além de ocorrências por deslizamentos.Chuva em Florianópolis
A chuva forte que atinge a região desde a semana passada já deixou 65 pessoas desalojados, cinco desabrigados e duas mortes. A prefeitura decretou situação de emergência na tarde de domingo (24).

Ao menos 30 ocorrências, incluindo deslizamentos e alagamentos, foram atendidos pela Defesa Civil municipal. Na Grande Florianópolis choveu mais em uma semana que o esperado para 30 dias.

Situação em Santa Catarina
Este é o mês janeiro mais chuvoso dos últimos 3 anos em Santa Catarina, segundo a Defesa Civil estadual. Até domingo (24), ao menos 31 municípios registraram ocorrências relacionadas à chuva.

A previsão é de chuva na próxima semana em Santa Catarina, com acumulados maiores na Grande Florianópolis, Vale do Itajaí, Serra, Sul e Norte do estado. Com isso, continua o risco de deslizamentos e alagamentos nessas regiões.

A orientação é que a população procure áreas elevadas em casos de alagamentos e evitar andar e trafegar em locais com água. Postes, paredes e árvores inclinadas podem ser sinal de deslizamentos.

Recomendações
Alagamentos: Evitar entrar em contato com a água ou dirigir em locais alagados, evitar transitar por pontes submersas, atenção com crianças próximas a rios e ribeirões.
Deslizamentos: Atenção a qualquer movimento de terra ou rochas próximo de residências, atenção ao aparecimento de rachaduras em muros ou paredes.
Defesa Civil: 199
Corpo de Bombeiros: 193

Fonte: G1


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *