- Brasil

Goiano que confessou ter agredido a namorada é preso na Irlanda

José Augusto Júnior, de 28 anos, que confessou ter agredido a namorada, na Irlanda, foi preso no Aeroporto de Dublin, capital do país. A informação foi confirmada ao G1 pela própria vítima, Júlia Freitas, 19. O crime teria sido motivado por ciúmes, após ele ler mensagens no celular dela.

Natural de Anápolis, a 55 km de Goiânia, José Augusto foi preso no domingo (8). O G1 não conseguiu localizar a defesa dele até a publicação desta reportagem. Júlia afirmou que estava a caminho da polícia e que passaria outros detalhes sobre a detenção na tarde desta segunda-feira (9).

O G1 entrou em contato com o Itamaray nesta manhã, por e-mail, e aguarda retorno.

A Embaixada do Brasil na Irlanda afirmou que soube da prisão pela imprensa e que não houve “pedido de assistência consular” pelo cidadão neste caso. Já a polícia irlandesa disse em nota que não comenta casos isolados.

A jovem mora em Dublin e tinha ido visitar o namorado em Navan, a 54 km de distância, quando houve a agressão, em 31 de outubro. Ela relatou que estava dormindo quando começou a levar vários socos do namorado.
Confissão
Após as agressões, João Augusto saiu de Navan. Ele chegou a postar que estava em um país vizinho, mas negou que estava foragido e afirmou que tomou a decisão depois de sofrer ameaças de morte.

“Eu me apresentei, não tinha queixa, eu fiquei em aguardo. No outro dia, prestaram queixa, só que eu já não estava mais em Navan, porque eu sofri diversas ameaças de morte. Não estou escondido. Assim que eu puder, vou à Irlanda me apresentar. Estou esperando meu advogado e, quando ele achar que for o momento correto, vou me apresentar e me colocar à disposição da Justiça da Irlanda”, afirmou, na ocasião.

Ele negou que tenha tentado matar Júlia, mas confessou ter agredido a namorada.

Jovem se escondeu em celeiro
Júlia Freitas conta que só conseguiu se livrar das agressões porque alguns amigos estavam na casa. “Ouviram meus gemidos e bateram na porta para ver se estava tudo bem. Eles se deparam com a minha boca cheia de sangue e meu rosto ensanguentado, ele não parava de me bater. Desmaiei duas vezes durante as agressões. Estava de vestido. Estava mais ou menos uns 2 graus, era de madrugada. Saí correndo e me escondi em um celeiro perto da casa dele”, desabafou.

A jovem relatou que, quando foi encontrada pelos amigos no celeiro, ainda estava com muito medo, mas permitiu que eles a levassem a um hospital para receber atendimento médico. No relato, Júlia diz que está se recuperando.

Fonte: G1


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *