- Cidade

Amazonas tem 12 cidades em alerta ou risco para surto de dengue, zika e chikungunya

Dos 61 municípios do Amazonas, 11 estão em alerta para dengue, zika e chikungunya, segundo o Ministério da Saúde. A situação mais grave foi constatada em Guajará – no Sudoeste do estado, a 1,4 mil km de Manaus – onde há risco de surto das doenças.

Os dados são do novo Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) de 2018, divulgados nesta quarta-feira (12). O estudo é um instrumento fundamental para o combate e controle do Aedes aegypti e das doenças causados pelo vetor.

Conforme a análise, a capital Manaus está em situação de alerta, com Índice de Infestação Predial (IIP) de 1,1%. O índice foi o mesmo nas cidades de Humaitá e Itacoatiara. Entre os outros municípios na mesma situação, São Gabriel da Cachoeira tem o maior IIP, de 3,6%, segundo o levantamento.

Guajará, que tem a situação mais crítica até então, tem IIP de 5,3%. Veja lista.

Situação de Risco
Guajará
Situação de alerta
Coari
Humaitá
Itacoatiara
Jutaí
Lábrea
Manaus
Novo Airão
Novo Aripuanã
São Gabriel da Cachoeira
Tefé
Tonantins
Outros 31 municípios estão em situação satisfatória. Conforme divulgado em lista pelo Ministério.

No Amazonas, a maior parte dos criadouros encontrados estavam em depósito de água. Ao todo, foram 444 viveiros do tipo, seguido de depósitos de lixo (299) e domiciliar (236).De acordo com o Ministério da Saúde, 19 municípios amazonenses não enviaram informações sobre o levantamento de infestação pelo Aedes.

Dados nacionais
Em todo o país, 5.358 municípios, 96,2% da totalidade de cidades, realizaram algum tipo de monitoramento do mosquito transmissor dessas doenças, sendo 5.013 por levantamento de infestação (LIRAa/LIA) e 345 por armadilha. A metodologia armadilha é utilizada quando a infestação do mosquito é muito baixa ou inexistente.

A realização do levantamento está atrelada ao recebimento da segunda parcela do Piso Variável de Vigilância em Saúde, recurso extra que é utilizado exclusivamente para ações de combate ao mosquito.

Dados epidemiológicos
DENGUE

Até 10 de novembro, foram notificados 228.042 casos de dengue em todo o país, um pequeno aumento em relação ao mesmo período de 2017 (226.675).

A taxa de incidência, que considera a proporção de casos por habitantes, é de 109,4 casos/100 mil habitantes.

Em comparação ao número de óbitos, a queda é de 21% em relação ao mesmo período do ano anterior, passando de 173 mortes em 2017 para 136 neste ano.

CHIKUNGUNYA

Até 10 de novembro, foram notificados 82.382 casos de chikungunya em todo o país, redução de 55% em relação ao mesmo período de 2017 (183.281).

A taxa de incidência, que considera a proporção de casos por habitantes, é de 39,5 casos/100 mil habitantes.

Em comparação ao número de óbitos, a queda é de 81% em relação ao mesmo período do ano anterior, passando de 189 mortes em 2017 para 35 neste ano.

ZIKA

Até 10 de novembro, foram notificados 7.544 casos de zika em todo o país, redução de 54% em relação ao mesmo período de 2017 (16.616).

A taxa de incidência, que considera a proporção de casos por habitantes, é de 3,6 casos/100 mil habitantes. Neste ano, foram dois óbitos por Zika.

Fonte: G1/AM


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *