- Cidade

Amazonas tem alta na exportação e importação em janeiro de 2021

O Amazonas registrou crescimento tanto nas exportações quanto nas importações no mês de janeiro de 2021. É o que mostra o resultado da última Balança Comercial do Amazonas, elaborada pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), que destaca os países da Venezuela, Bolívia, Argentina e Alemanha como principais destinos dos produtos amazonenses.

Nas exportações, o crescimento foi de 26,34% na comparação com janeiro de 2020 e de 6,51% em relação a dezembro de 2020. Os valores exportados alcançaram cifras de US$ 71,98 milhões em janeiro de 2021. A Venezuela foi o principal destino das exportações do Amazonas, registrando o equivalente a 15,39% do total exportado, totalizando US$ 11,08 milhões. O principal produto responsável pelo bom resultado das exportações para o país vizinho aparece no levantamento como “misturas e pastas para preparação de produtos de padaria, pastelaria”, com participação de 32,10% do total para esse país.

O secretário da Sedecti, Jório Veiga, avalia a alta na Balança Comercial do Amazonas como o resultado da adequação das necessidades e processos aos efeitos da pandemia, permitindo a retomada de várias atividades no comércio internacional.

“O nosso desafio continua sendo aumentar e, principalmente, diversificar as nossas exportações, trazer as pequenas e médias empresas para esse mercado exportador e inserir os nossos produtos oriundos da biodiversidade amazônica, que serão fundamentais nesse sentido”, enfatizou Jório Veiga.

O produto que mais foi exportado em janeiro, se considerado isoladamente, aparece no relatório como “outras preparações alimentícias” (produtos para elaboração de bebidas), representando US$12,43 milhões, o equivalente a 17,27% do total exportado. A Bolívia foi o destino principal desse produto com participação de 52,60% do total exportado.

O item “motocicletas” foi o segundo produto mais exportado em janeiro de 2021, registrando o volume de US$9,37 milhões, o equivalente a 13,02% do total exportado. A Argentina foi responsável por 58,44% das aquisições deste produto. Já o item “ouro manufaturado” foi o terceiro produto mais exportado no período com US$8,70 milhões, o equivalente a 12,09% do exportado, sendo a Alemanha o principal destino de 100% do item produzido no Amazonas.

Importação – As importações do Amazonas no mês de Janeiro de 2021 registraram cifras da ordem de US$934,57 milhões, o que significa um aumento de 10,69% na comparação com dezembro de 2020 e de retração de -1,65% na comparação com janeiro de 2020. A China se mantém como principal origem das importações do Amazonas registrando o valor de US$398,93 milhões, o que representa a participação 42,69% das importações totais do Amazonas.

O principal produto importado que aparece no levantamento da Balança Comercial do Amazonas como “outras partes destinadas aos aparelhos transmissores” com um total de US$ 133,81 milhões, o que equivale a 14,32% das importações, cujos 81,54% são originários da China. O item “processadores e controladores” foi o segundo produto mais importado, alcançando cifras de US$ 82,14 milhões com participação de 8,79%, sendo Taiwan com origem de 28,32% das compras desse produto.

Corrente de Comércio – Em Janeiro de 2021, a Corrente de Comércio do Estado do Amazonas (a soma das importações com as exportações) totalizou US$ 1.006,55 milhões – um crescimento de 10,40% na comparação com dezembro de 2020 e diminuição de -0,06% em relação a janeiro de 2020. O saldo em janeiro foi de US$ -862,58 milhões.

Interior – Quanto aos municípios do interior, em Janeiro de 2021, Presidente Figueiredo foi o maior exportador contabilizando o volume de US$ 2,80 milhões. O principal destino das exportações da “Terra das Cachoeiras” foi a China, que comprou o item “ferro-ligas” como principal produto. O segundo município que mais exportou em Janeiro deste ano foi Ita
coatiara, que registrou o total de US$ 1,05 milhão. A “cidade da Pedra Pintada” exportou o item “madeira serrada” como o principal produto enviado para a Holanda.

Já nas importações, influenciado pelas operações de empresas do setor de extração de gás natural, o município de Silves se destacou como maior importador registrando o volume de US$ 1,94 milhão. A Argentina foi o maior parceiro comercial responsável pelo o item “máquinas e aparelhos mecânicos” como principal produto importado.

Ainda no levantamento das importações do interior do Estado, a cidade de Nova Olinda do Norte ficou em segundo lugar com o valor de US$ 554 mil, tendo o Canadá como principal país de origem dessas importações. O item “turbo reatores” foi o produto mais comprado.

Balança Comercial – A Balança Comercial do Amazonas é um dos estudos produzidos pelo Departamento de Estudos, Pesquisas e Informações (Depi) da Secretaria Executiva de Planejamento da Sedecti e tem como fonte principal de informação, a Secretaria de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais (Secint) do Ministério da Economia (ME).

O objetivo do trabalho é de acompanhar o desempenho mensal das relações comerciais do Amazonas e, dessa forma, permitir o entendimento de sua evolução nas exportações e importações no Estado.

Para acompanhar esses e outros estudos, basta acessar o Painel da Balança Comercial do Amazonas no site da Sedecti: www.sedecti.am.gov.br na aba “Indicadores e Mapas”.

Fonte: Divulgação/Semcom


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *