- Cidade

Boletim Hidrometeorológico

Os valores de cota (Tabela 1) dos dias 25 a 29/09/2018, mostram que em Manaus, o rio Negro encontra-se em regime de vazante desceu 16 cm e comparado ao mesmo período do ano anterior está 467 cm acima. Em Curicuriari (Alto rio Negro) o rio desceu 11 cm e comparada com o mesmo período do ano passado está 213 cm acima. Em Tabatinga (Alto Solimões), o rio desceu 3 cm e comparado ao mesmo período do ano anterior está 220 cm acima. Em Manacapuru, o rio Solimões desceu 16 cm e comparado ao mesmo período do ano anterior está 485 cm acima. Em Itacoatiara rio Amazonas desceu 12 cm e comparado ao mesmo período do ano anterior está 360 cm acima. Em Humaitá, o rio Madeira desceu 2 cm e comparado ao mesmo período do ano anterior está 75 cm abaixo. Em Eirunepé, o rio Juruá subiu 9 cm e comparado ao mesmo período do ano anterior está 47 cm abaixo.


Os dados apresentados na Figura 2 mostram a distribuição espacial estimada da precipitação sobre os estados do Amazonas e Roraima, com espaçamento de grade 0,5°x 0,5º, fonte de dados “Climate Prediction Center NOAA”, processados na Divisão de Meteorologia do SIPAM. A climatologia de precipitação da Amazônia Legal durante o mês de setembro apresenta os valores máximos de chuva em toda a faixa centro-norte e oeste do Amazonas e o centro-oeste de Roraima, áreas estas que se encontram dentro da estação chuvosa, ocasionado principalmente pelo sistema meteorológico presente no extremo norte da região, a ZCIT (Zona de Convergência Intertropical). Para o período de 17 a 23 de setembro, no Amazonas, os maiores registros (acima de 20 mm) foram observados na faixa oeste do estado. Já os menores volumes ficaram distribuídos principalmente no nordeste estado (áreas em tom de laranja), com pouco ou nenhum registro de chuva.
Segundo o COLA (Center for Ocean-Land-Atmosphere Studies), o prognóstico de precipitação, para o período de 24 de setembro a 02 de outubro de 2018, indica que os maiores volumes podem ocorrer principalmente em Roraima e no centro-norte do Amazonas, além de países vizinhos, destacando-se a Colômbia e Venezuela, em decorrência da atuação da Zona de Convergência Intertropical – ZCIT.

Fonte: IPAAM


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *