- Cidade

Justiça Federal dá prazo de 10 dias para Ufam informar sobre retorno de estágio para estudantes de medicina

A Justiça Federal do Amazonas determinou, nesta semana, que a Universidade Federal do Estado (Ufam) estabeleça uma data para o retorno do estágio obrigatório para estudantes finalistas de medicina. A instituição tem até 10 dias para se posicionar, após a notificação. Segundo os alunos, o estágio está suspenso desde dezembro, quando começou a segunda onda de Covid-19 em Manaus.

A decisão é da juíza Jaiza Fraxe. Ela atendeu um pedido dos estudantes da Turma 95 de medicina da Ufam, que busca na Justiça o direito de retornar ao estágio obrigatório do curso. No entanto, a juíza não obrigou o retorno de atividades, somente pediu que a universidade divulgasse o calendário letivo, antes de decidir sobre o caso.

Ao G1, a estudante Lázara Gabriela explicou que os estudantes buscam desde o ano passado o retorno ao estágio. No entanto, sempre encontram um empecilho por parte da universidade, como a falta de EPIs e a obrigatoriedade da vacinação.

“O nosso desejo é retornar com o estágio. Eles [Ufam] sempre colocam barreira. O estágio foi suspenso em março. E a primeira barreira era a falta de EPI. Fizemos uma vaquinha, conseguimos comprar, mas só foi liberado o retorno para o estágio em novembro. No entanto, veio a segunda onda e, em dezembro, as atividades foram suspensas. Dessa vez é a vacinação. Eles colocam que a gente ainda não retornou porque os hospitais de Manaus, as unidades que a gente frequenta no internato, não estão aceitando alunos que não foram vacinados”, explicou.

No entanto, segundo a estudante, existe uma norma técnica do Ministério da Saúde que permite a vacinação dos alunos que atuam nos hospitais. Uma orientação da Fundação de Vigilância e Saúde do Amazonas (FVS-AM) emitida na quarta-feira (7) também determina que os acadêmicos, estagiários e residentes em saúde sejam imunizados contra o coronavírus em todo o estado.

“Essa semana saiu uma portaria da FVS que autoriza a nossa vacinação. É o que falta para que a gente retorne. Mas foi feita uma lista com os alunos que deveriam ser vacinados e o nosso nome não está nela. Mas a Ufam fala que os nossos nomes foram enviados. Eles falam que a Secretaria Municipal de Saúde autorizou, mas vamos nos postos de saúde e não está o nosso nome”.

Fonte: G1/AM

 


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *