- Cidade

Vigilância em Saúde do Amazonas alerta para observação de eventos adversos pós-vacinação contra a Covid-19

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Drª Alecrim Costa Pinto (FVS-RCP) alerta para que uma população vacinada contra uma Covid-19 observe sintomas que indiquem eventos adversos pós-vacinação, quando receber doses de imunizantes contra uma infecção. No dia 9 de julho, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) emitiu comunicado sobre risco de miocardite e pericardita (inflamação do tecido que envolve o coração) após vacinação com imunizantes contra Covid-19 com RNA mensageiro ( RNAm), como o da Pfizer, que está disponível no país. No comunicado, a Anvisa informa que solicitou aos produtores do imunizante uma alteração da bula do produto, incluindo um miocardite e a pericardite na secção de advertências e precauções. Apesar do alerta, a FVS-RCP mantém uma recomendação de continuidade da imunização com a vacina da Pfizer, dentro das indicações em conformidade com os protocolos de aplicação de doses orientados pelo Ministério da Saúde. O diretor-presidente da FVS-RCP, Cristiano Fernandes, aponta que os benefícios do imunizante superam os riscos. “A Anvisa não denominada relatos de miocardita ou pericardita após a vacinação no Brasil. No entanto, é importante que as pessoas continuem acreditando na vacina, porque é uma ferramenta importante no combate à pandemia ”, afirma. Cristiano acrescenta que o alerta serve, também, para que, não só os cidadãos que recebem a vacina, mas também os profissionais que atuam nas unidades de saúde, evocados para os sinais e sintomas de eventos adversos e notificação imediatamente os casos suspeitos. No comunicado, a Anvisa detalha que os casos registrados de eventos adversos relacionados às vacinas com imunizantes contra Covid-19 com RNA mensageiro (RNAm), nos Estados Unidos, foram identificados em adolescentes e adultos jovens, predominantemente, do sexo masculino e acima de 16 anos, e ocorrendo, principalmente, após a aplicação da segunda dose da vacina. “Vale ressaltar que os casos têm um bom prognóstico e tem evoluído sem sequelas. O risco de pegar a doença Covid-19 é muito maior do que qualquer risco de evento adverso pós-vacina ”, alerta a infectologista Solange Dourado, responsável por eventos pós-vacinais do Centro de Referência de Imunobiológicos Especiais (Crie / FVS-RCP) . foram identificados em adolescentes e adultos jovens, predominantemente, do sexo masculino e acima de 16 anos, e ocorrendo, principalmente, após a aplicação da segunda dose da vacina. “Vale ressaltar que os casos têm um bom prognóstico e tem evoluído sem sequelas. O risco de pegar a doença Covid-19 é muito maior do que qualquer risco de evento adverso pós-vacina ”, alerta a infectologista Solange Dourado, responsável por eventos pós-vacinais do Centro de Referência de Imunobiológicos Especiais (Crie / FVS-RCP) . foram identificados em adolescentes e adultos jovens, predominantemente, do sexo masculino e acima de 16 anos, e ocorrendo, principalmente, após a aplicação da segunda dose da vacina. “Vale ressaltar que os casos têm um bom prognóstico e tem evoluído sem sequelas. O risco de pegar a doença Covid-19 é muito maior do que qualquer risco de evento adverso pós-vacina ”, alerta a infectologista Solange Dourado, responsável por eventos pós-vacinais do Centro de Referência de Imunobiológicos Especiais (Crie / FVS-RCP) .

Sintomas – Quem for se vacinar contra a Covid-19 e tiver histórico de miocardito ou pericardito, deve informar os episódios ao profissional de saúde vacinador. Um médico deve avaliar a relação entre o benefício e o risco da vacinação com a vacina da Pfizer nos casos de pessoas com esse tipo de histórico de saúde. Os eventos adversos mais comuns após a vacinação são dor no local da aplicação da vacina, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, calafrios, dor nas articulações e febre. A maioria dos efeitos colaterais que ocorrem com o uso da vacina são leves e temporárias que finalizam de um a dois dias após a vacinação. No entanto, se o vacinado sentir falta de ar, dor no peito e palpitações, uma recomendação das autoridades de saúde é procurar, imediatamente, atendimento médico.

Referência- A FVS-RCP é responsável pela Vigilância em Saúde do Amazonas. A instituição funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, na avenida Torquato Tapajós, 4.010, Colônia Santo Antônio, Manaus. Contato telefônico da FVS-RCP (92) 3182-8550 e 3182-8551.

FOTO : Divulgação/ FVS-RCP


There is no ads to display, Please add some

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *