- Cidade

‘Zona Azul’ causa problemas a motoristas no Centro Histórico de Manaus

O Sistema de estacionamento rotativo Zona Azul teve início com a cobrança de taxa em junho deste ano, mas em pouco tempo vem gerando problemas à população que usa o serviço de vagas nas principais ruas do Centro Histórico de Manaus. De acordo com motoristas particulares que se deslocam à área central, eles chegam a pagar duas vezes para fazer uso das vagas disponíveis, ou seja, efetuam o pagamento da taxa de estacionamento pelo tempo de 3 horas ao monitor da empresa concessionária e, para não ter o carro danificado, pagam também ao flanelinha.

“Quando venho ao centro histórico uso o sistema Zona Azul. Mas, pago também aos flanelinhas para não ter meu carro riscado, amassado ou lanternas e retrovisores quebrados. Já cheguei a ser ameaçado e tive que pagar para não sair no prejuízo”, denunciou um motorista, que pediu anonimato por não saber a quem recorrer.

Como se não bastasse o pagamento efetuado duas vezes para usar as vagas, os proprietários de veículos ainda se deparam com pontos clandestinos de moto-taxistas  que há uma mês tomaram posse da vaga preferencial de portador de necessidades, em área localizada na rua Saldanha Marinho, ao lado de uma agência bancária.

Moto-taxistas ocupam faixa destinada a pessoas especiais

Segundo a assessoria de comunicação do Consórcio Amazônia, empresa responsável em administrar o sistema de estacionamento nas principais ruas e avenidas, nem o Consórcio e nem a Prefeitura se responsabilizam por danos causados aos carros estacionados nas vagas do Zona Azul, cabendo ao Estado a identificação e indenização aos proprietários dos veículos.O projeto estava em fase de testes e o preço da taxa, segundo a assessoria de comunicação da empresa, e para iniciar oficialmente os serviços, teve o valor reduzido de R$ 3 para R$ 2,45.

Como funciona

O motorista ou usuário do sistema pode visualizar as vagas disponíveis por meio de aplicativo no celular. Ao chegar no local desejado, ele (a) estaciona seu veículo, garantindo sua vaga ao pagar o valor das três primeiras horas ao monitor da empresa administradora. O pagamento pode ser feito, também, pelo portal www.zamanaus.com.br ou pelo aplicativo Zona Azul, disponível gratuitamente nas lojas Google Play ou Apple Store. A empresa concessionária do sistema afim de facilitar a vida dos usuários, busca firmar parceria com lojistas situados no centro histórico, habilitando-os como pontos de venda de créditos de estacionamento do Zona Azul.

Segundo a assessora de comunicação do Consórcio Amazônia, jornalista Élida Tavares, as vagas estão disponíveis na avenida Eduardo Ribeiro e nas ruas 10 de Julho, Barroso, Henrique Martins, Rui Barbosa, 24 de Maio, Costa Azevedo, Marçal, Dona Libânia, Monsenhor Coutinho, Tapajós, Lobo D’Almada, Joaquim Sarmento, José Clemente, Ramos Ferreira, Frei Lourenço e Ferreira Pena.

O sistema de estacionamento rotativo Zona Azul de Manaus foi implantado com o objetivo melhorar a mobilidade urbana, proporcionar maior fluidez no trânsito, por meio da organização das vagas nas vias públicas e segue as diretrizes do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Texto: Juscelino Costa

 


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *