- Economia

Contratação de estagiários negros cresceu 235% entre 2018 e 2021, mostra levantamento

Levantamento da Companhia de Estágios mostra aumento de 235% nas contratações de estagiários negros no país entre 2018 e 2021.

O estudo teve como base 5.402 universitários negros contratados entre 2018 e 2021 por intermédio da empresa.

Em 2018, foram 614. Em 2019, o número subiu para 1.205 em 2019, e em 2020, para 1.528 em 2020. Já no ano passado, atingiu 2.055 – crescimento de 235% entre 2018 e 2021.

Entre 2020 e 2021, o crescimento foi de 34,5%. Até junho deste ano, são 1.455 estudantes negros fazendo estágio.

Fatores que contribuem com o aumento
De acordo com a Companhia de Estágios, contribuem para esse aumento nas contratações os seguintes fatores:

Flexibilização de pré-requisitos como inglês e Excel
Criação de programas de capacitação
Realização de censos para mapear a diversidade entre o público interno
Criação de metas de diversidade
Sensibilização de lideranças
Criação de comitês de diversidade
Realização de fóruns para debater a desigualdade no mundo corporativo
“Esse crescimento ano a ano mostra que as iniciativas das corporações têm ido além da contratação. É muito mais que trazer mais pretos e pardos para dentro da organização. Agora, o olhar é mais inclusivo: garantir a exposição e o desenvolvimento dos profissionais negros, trabalhando para que eles estejam mapeados, sendo efetivados e promovidos”, avalia Tiago Mavichian, CEO e fundador da Companhia de Estágios.
Áreas com maior contratação
Segundo o levantamento, as áreas que mais contrataram estudantes negros no período analisado foram:

Finanças
Engenharia de processos
Atendimento ao cliente
Marketing e vendas
Manutenção
Jurídico
Facilities
Engenharia/obras
Engenharia
Comunicação
Já os cursos com mais representatividade entre os jovens negros são:

Administração
Engenharia de produção
Engenharia civil
Engenharia mecânica
Engenharia química
Ciências contábeis
Direito
Perfil dos estagiários
Atualmente, a maioria dos estagiários negros mora no Sudeste (85%). Já o percentual no Nordeste e Sul é o mesmo (5%), apesar de a população do Nordeste ser proporcionalmente maior que a do Sul.

Sudeste: 85%
Nordeste: 5%
Sul: 5%
Centro-Oeste: 3%
Norte: 2%
Ainda que a principal concentração esteja no Sudeste – por conta do maior volume de vagas –, todas as regiões tiveram aumento na contratação de negros no período analisado, informa a Companhia de Estágios.

A idade média desses estudantes é de 25 anos. No mapeamento anterior, de 2020, a idade média era menor, de 23 anos.

Já a proporção de mulheres entre os estagiários negros é maior que a dos homens: 55% delas, contra 45% deles.

Idioma ainda é questão de desigualdade
Mesmo com os avanços, algumas desigualdades continuam, como o nível de inglês. O número de estagiários negros aprovados com inglês avançado ainda é inferior: 26% contra 44% dos brancos. Mas, no nível intermediário do idioma, o cenário é o oposto: 34% dos negros atingem esse patamar, enquanto 30% dos brancos têm o idioma.

Já o nível básico do inglês predomina entre os negros (25%) e é menor entre brancos (12%).

Em relação ao Excel, o nível de conhecimento se equipara. A maioria dos candidatos, brancos (51%) e negros (52%), têm conhecimento intermediário da ferramenta.

Proporção de estagiários negros é maior em universidades particulares
Outros dados do estudo mostram que a proporção dos estagiários negros que estudam em universidades privadas é maior que entre os estagiários brancos.

Experiência como requisito
Outra questão no mapeamento diz respeito às contratações de jovens sem experiência prévia. Em 2018, apenas 6% dos negros começavam a estagiar sem ter experiência no currículo. Já em 2021, as contratações de estagiários sem experiência alcançaram 22% – crescimento de 266% no período, segundo o estudo.

“A experiência não deveria ser requisito para uma vaga de estágio. Felizmente, as empresas estão se conscientizando sobre essa questão e olhando cada vez mais para o potencial das pessoas”, comenta Mavichian. “A companhia que oferece essa oportunidade desenvolve os talentos para os desafios de seu mercado e acaba tendo um grupo de pessoas qualificadas, com energia e disposição para contribuir com o negócio”.

Fonte: G1


There is no ads to display, Please add some

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *