- Economia

Dólar opera em queda com início de nova atuação do BC no mercado de câmbio

O dólar opera em queda em relação ao real nesta quarta-feira (20), em dia marcado pelo início da nova forma de atuação do Banco Central no mercado de câmbio, com leilão à vista de dólares, e com as atenções voltadas para a divulgação da ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve, o banco central dos EUA.

Às 9h56, a moeda norte-americana caía 0,73%, a R$ 4,0215. Veja mais cotações.

No pregão da véspera, o dólar fechou em queda de 0,36%, cotado a R$ 4,0509. Na parcial de agosto, entretanto, a moeda dos EUA acumula alta de 6,09%. No ano, acumula avanço de 4,56%.

Nova atuação do BC com leilões de dólares à vista
O Banco Central anunciou no dia 14 mudanças em sua forma de atuar no mercado de câmbio, com vias a trocar posição cambial em contratos de swap tradicional por dólares à vista, formalizando novo modelo de intervenção cambial para aprimoramento do uso dos instrumentos disponíveis.

As vendas de dólares à vista começarão nesta quarta e irão até 29 de agosto. Nesta quarta, as operações ocorrerão entre 9h30 e 9h35.

O BC fará ofertas simultâneas de 550 milhões de dólares à vista e de igual montante em contratos de swap cambial reverso. A atuação simultânea visa trocar, por dólar à vista, um total de US$ 3,8445 bilhões em swaps cambiais tradicionais que expiram em outubro e que ainda não foram rolados pelo BC.

Será a primeira vez que o BC ofertará dólares das reservas sem compromisso de recompra desde fevereiro de 2009. O BC também não disponibiliza swaps reversos desde novembro de 2016.

Os swaps são utilizados como instrumento para proteção para investidores.

A autoridade monetária justificou a mudança na forma de atuar no câmbio citando maior busca por liquidez no mercado à vista — e não no segmento futuro, onde tradicionalmente a demanda por “hedge” é maior e atendida pelos swaps cambiais.

Cenário externo
Nesta tarde está prevista a divulgação da ata da reunião de julho do Federal Reserve, quando o BC dos EUA cortou as taxas de juros pela primeira vez em mais de uma década.

As tensões comerciais entre os EUA e a China pioraram desde o movimento do Fed, aumentando os riscos econômicos, o que tende a colocar o foco dos investidores mais nos discursos do presidente Jerome Powell do que na ata do Federal Reserve, em busca de pistas sobre a trajetória dos juros na maior economia do mundo.

Fonte: G1


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *