- Economia

Ibovespa sucumbe a receios com cena fiscal e recua 1%

O Ibovespa revertia ganhos e recuava nesta quarta-feira, descolado de Wall St, com preocupações fiscais e ruídos políticos ofuscando o clima positivo com a posse de Joe Biden como presidente dos EUA nesta tarde e possíveis novos estímulos para a economia norte-americana.

Às 12:54, o Ibovespa caía 1,28 %, a 119.095,92 pontos. Na máxima, mais cedo, chegou a 121.449,10 pontos. O volume financeiro era de 10,7 bilhões de reais.

Biden fará o juramento como 46º presidente dos Estados Unidos, assumindo o comando de um país assolado por profundas divisões políticas e atingido pela pandemia.

“Será fundamental acompanhar os passos do novo governo para entendermos seu foco, suas principais medidas e a direção que o país irá tomar em vários vetores, econômicos, geopolíticos e sociais”, afirmou o estrategista Dan Kawa, da TAG Investimentos.

Agentes financeiros ponderam, contudo, que os ativos brasileiros continuam minados pelos ruídos no cenário político e preocupações com o quadro fiscal.

“A nuvem de pessimismo não se dissipa”, afirmou a equipe da corretora Planner, citando, além dos riscos fiscais e políticos, notícias preocupantes sobre a economia, principalmente a extensão da crise com a pandemia e atraso na chegada de vacinas.

Na véspera, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) adiou para março a entrega das primeiras doses da vacina da AstraZeneca a serem produzidas no Brasil por causa do atraso na chegada do insumo farmacêutico ativo (IFA) da China.

Também na terça-feira, o Brasil registrou 1.192 novas mortes em decorrência da Covid-19 e a notificação de 62.094 novos casos de coronavírus.

E o presidente Jair Bolsonaro voltou a afirmar que as Forças Armadas são a base do seu governo e que o país agora tem um presidente que respeita os militares.

DESTAQUES

– B2W ON subia 7,6%, capitaneando os ganhos de papéis de comércio eletrônico, com sua controladora LOJAS AMERICANAS PN avançando 3,9%. VIA VAREJO ON tinha alta de 4,5% e MAGAZINE LUIZA ON ganhava 3,7%.

– SUZANO ON e KLABIN UNIT valorizavam-se 1,95% e 0,6%, respectivamente, tendo de pano de fundo cenário favorável para o setor. O BTG Pactual reiterou recomendação de compras para as ações citando mais uma rodada de aumentos nos preços de celulose pelos principais produtores.

– USIMINAS PNA caía 3%, com o sinal negativo passando a prevalecer no setor de mineração e siderurgia. VALE mostrava decréscimo de 2,2%.

– PETROBRAS PN tinha variação negativa de 0,8%, mesmo em meio ao avanço do petróleo no exterior. A companhia confirmou na véspera que a Ultrapar está liderando negociações para a aquisição da Refinaria Alberto Pasqualini (Refap). ULTRAPAR ON tinha elevação de 1,2%.

– ITAÚ UNIBANCO PN cedia 2,1% e BRADESCO PN perdia 2,1%, com o setor como um todo mais fraco.

– LIGHT ON caía 5,6% após concluir uma oferta de ações que movimentou 2,7 bilhões de reais. O follow-on permitiu à Cemig alienar sua participação de 22,6% na companhia de energia e captar 1,37 bilhão de reais. CEMIG PN cedia 1,8%.

– MRV ON subia 0,9%, em sessão positiva para construtoras em meio à divulgação de prévias operacionais do quarto trimestre de 2020. Na véspera, Lavvi e Tenda também reportaram seus números, que alguns analistas consideraram fortes, ajudando no avanço de 1% e 0,2% .

Fonte: Msn


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *