- Economia

Índices da China e da Europa recuam após Trump ameaçar com mais tarifas

Os mercados chineses fecharam em forte queda nesta sexta-feira (2), com os investidores buscando cobertura depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou que vai adotar novas tarifas sobre a China citando falta de progresso nas negociações comerciais. Já as bolsas europeias recuavam cerca de 2%.

Encerrando abruptamente uma trégua comercial temporária entre os dois países, Trump disse que vai impor tarifas de 10% sobre US$ 300 bilhões em exportações chinesas para os EUA a partir de 1º de setembro.

Notícia da Bloomberg de que Trump fará uma declaração sobre o comércio com a União Europeia às 14h45 (horário de Brasília) também ajudava a aumentar a pressão sobre os investidores.

“O anúncio servirá apenas para criar uma pressão adicional de queda na confiança empresarial”, disse Mark Haefele, diretor de investimentos da UBS Global Wealth Management, em nota.

“Se as empresas pararem de contratar (como resultado), isso aumentará muito o risco de uma recessão”.

Pequim vai adotar contra-medidas se as tarifas dos EUA forem em frente, disse nesta sexta-feira o Ministério das Relações Exteriores chinês.

Bolsas despencam depois da decisão de Trump de impor novas taxas à China

Bolsas asiáticas
O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, terminou com baixa de 1,47%, enquanto o índice de Xangai caiu 1,41%, perdendo 2,6% na semana.

Conforme os investidores buscavam proteção contra a volatilidade em ativos mais seguros, os rendimentos dos títulos de 10 anos do governo chinês caíram para 3,1%, nível mais baixo desde abril.

O iuan caiu para o nível mais baixo desde novembro de 2018 no início dos negócios, mas acabou recuperando parte das perdas.

Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 2,11%, a 21.087 pontos.
Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 2,35%, a 26.918 pontos.
Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 1,41%, a 2.867 pontos.
O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN,

retrocedeu 1,47%, a 3.747 pontos.
Em SEUL, o índice KOSPI teve desvalorização de 0,95%, a 1.998 pontos.
Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 1,70%, a 10.549 pontos.
Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 0,93%, a 3.261 pontos.
Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 0,30%, a 6.768 pontos.
Europa
Os índices acionários europeus recuavam cerca de 2% nesta sexta-feira, com a ameaça do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de novas tarifas sobre a China agitando setores sensíveis ao comércio, como mineração e montadoras de veículos.

Às 8h01 (horário de Brasília), o índice FTSEEurofirst 300 caía 1,83%, a 1.499 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdia 1,85%, a 381 pontos, para uma mínima de seis semanas, com o setor de materiais básicos recuando 3,9%, enquanto os setores de automotivo e de tecnologia perdiam 2,7%.

Em LONDRES, o índice Financial Times recuava 1,71%, a 7.455 pontos.
Em FRANKFURT, o índice DAX caía 2,37%, a 11.962 pontos.
Em PARIS, o índice CAC-40 perdia 2,60%, a 5.412 pontos.
Em MILÃO, o índice Ftse/Mib tinha desvalorização de 1,70%, a 21.199 pontos.
Em MADRI, o índice Ibex-35 registrava baixa de 0,93%, a 8.953 pontos.
Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizava-se 1,49%, a 4.939 pontos.

Fonte: Globo esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *