- Esportes

Brasileiro que mais lutou pelo UFC, Gleison Tibau deixa organização

Brasileiro que mais disputou lutas no Ultimate Fighting Championship, Gleison Tibau anunciou o fim da passagem pelo UFC. Ele estava na organização desde 2006 e subiu ao octógono 28 vezes – foram 16 vitórias e 12 derrotas. Aos 35 anos, o veterano revelou que não teve o contrato renovado com a franquia. O compromisso terminou em junho passado.

As quatro derrotas consecutivas nas apresentações anteriores no octógono foram decisivas para o fim do ciclo de Gleison Tibau no UFC. Mesmo admitindo o rendimento ruim, ele demonstrou frustração com a decisão da empresa em não renovar o contrato. “A gente fica chateado. Foram 12 anos na organização e sempre salvando card. Recebi muita luta com uma ou duas semanas (de antecedência). Fiquei abalado, e aí caiu a ficha”, declarou o potiguar à Ag. Fight.

Gleison Tibau se sentiu desvalorizado, principalmente pelo fato de ter, em muitas ocasiões, contribuído para os eventos da empresa, aceitando até lutas em cima da hora. “Os eventos em geral usam os atletas até onde acham que a gente pode trazer benefícios para eles. Depois dispensam e pronto. Fiquei um pouco chocado. Quase minha vida toda foi treinando duro e pegando luta em cima da hora”, acrescentou.

Gleison Tibau estreou no UFC em novembro de 2006, quando foi nocauteado por Nick Diaz, pelos meio-médios (77kg). O brasileiro desceu para os leves (até 70kg), mas teve muitos problemas com a balança. Depois de boa fase entre 2014 e 2015, com três triunfos seguidos, o potiguar começou a fase decadente. Entre as quatro derrotas consecutivas que culminaram com a saída, ele ainda foi pego em exame antidoping e cumpriu suspensão de dois anos.

Gleison Tibau deixou o UFC muito perto do recorde de maior frequentador do octógono da organização. Em número de lutas, ele só ficou atrás do trio formado por Michael Bisping, Jim Miller e Jeremy Stephens, todos com 29 combates na franquia.

Fonte: Super esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *