- Polícia

Caso Flávio: Justiça autoriza retirada de tornozeleira eletrônica de Alejandro Valeiko

O Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) autorizou a retirada da tornozeleira eletrônica de Alejandro Molina Valeiko, suspeito de envolvimento no assassinato do engenheiro Flávio Rodrigues. O crime aconteceu em um condomínio de luxo de Manaus, em setembro de 2019.

Alejandro Valeiko é filho da ex-primeira dama Elizabeth Valeiko. Ele responde na Justiça por homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, omissão penalmente relevante e ocultação de cadáver.

Além dele, outras quatro pessoas são réus no Caso Flávio: o policial militar Elizeu da Paz de Souza, Mayc Vinicius Teixeira Parede, Paola Valeiko Molina, José Edvandro Martins de Souza Junior.

A decisão do juiz George Hamilton Lins Barroso, da 1ª Vara do Tribunal do Juri da Comarca de Manaus, foi expedida no dia 19 deste mês. Ele decidiu pela revogação da medida cautelar de monitoramento eletrônico imposta a Alejandro.

Conforme o TJAM, a decisão do juiz atende um pedido da defesa de Valeiko em conformidade com o Ministério Público Estadual. Outras medidas cautelares, como a prisão domiciliar do acusado, foram mantidas.

Em março deste ano, a Justiça negou o pedido de relaxamento da prisão preventiva de Mayc Vinicius Teixeira Parede, um dos suspeitos de participar do homicídio do engenheiro.

O caso
O homicídio do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos ocorreu no dia 29 de setembro de 2019, após uma festa na casa de Alejandro Molina Valeiko, filho da primeira dama, Elizabeth Valeiko.

Segundo a polícia, os amigos estavam na casa de Alejandro Valeiko bebendo e usando drogas. De repente, começou uma discussão, seguida de agressões com facas. O engenheiro Flávio dos Santos foi esfaqueado e morreu.

Ainda de acordo com a polícia, Santos foi encontrado morto no bairro Tarumã, na tarde de segunda-feira (30). O local onde estava o corpo fica próximo à casa de Alejandro.De acordo com as investigações, o policial militar Elizeu da Paz de Souza, que estava lotado na Casa Militar da Prefeitura de Manaus e seria segurança de Alejandro, estava dirigindo um carro alugado da Prefeitura. A polícia diz que o PM Elizeu de Souza foi até o condomínio, colocou o corpo no carro da Prefeitura de Manaus e saiu do local da festa.

Lutador de MMA, Mayc Parede confessou sua participação no crime ao ser preso em 2019, alegando ser o culpado pelas facadas desferidas na vítima. Ele aparece em vídeos de segurança dando entrada no condomínio onde ocorreu o crime.

Pouco mais de um ano após a morte de Flávio Rodrigues, somente dois dos cinco réus acusados pela Justiça estão presos:

Mayc Paredes está em uma unidade prisional
policial Militar Elizeu Da Paz está no Núcleo Prisional da Polícia Militar.

Fonte: G1/AM


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *