- Polícia

Polícia Civil prende homem envolvido em latrocínio ocorrido em junho deste ano, no bairro Gilberto Mestrinho

A Polícia Civil do Amazonas, representada pelo delegado Charles Araújo, adjunto da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), falou na manhã desta quarta-feira (19/12), durante coletiva de imprensa realizada às 11h30, no prédio da especializada, sobre o cumprimento de mandado de prisão temporária em nome de Hitallo de Souza Soares, 32, envolvido em caso de latrocínio que teve como vítima o vendedor de confecções Kaio Sampaio Borges, ocorrido no dia 29 de junho deste ano. A vítima tinha 18 anos.
De acordo com a autoridade policial, o crime aconteceu na rua Silvio Nogueira Valente, Comunidade Grande Vitória, bairro Gilberto Mestrinho, zona leste de Manaus. “O jovem estava vendendo roupas quando Hitallo e um comparsa, em uma motocicleta, o abordaram e efetuaram disparos de arma de fogo, atingindo a cabeça e as costas da vítima, ocasionando oóbito. Em seguida os infratores subtraíram o aparelho celular do vendedor e fugiram. O objeto foi recuperado em posse da esposa de Hitallo, uma mulher de 34 anos”, relatou Araújo.
O delegado explicou que, ao ser conduzida à delegacia para prestar esclarecimentos, a mulher de Hitallo confessou que havia recebido o celular do companheiro para que fosse vendido. Ela afirmou, ainda, que Hitalloadmitiu ter matado a vítima para subtrair o objeto. Ela foi indiciada por receptação e está respondendo ao delito em liberdade, segundo Araújo.
Conforme o delegado, as equipes de investigação da DEHS prenderam Hitallona tarde de terça-feira (18/12), por volta das 15h, em via pública, na rua Perimetral, Comunidade Grande Vitória, bairro Gilberto Mestrinho. A ordem judicial em nome do infrator foi expedida no dia 8 de novembro deste ano, pela juíza Suzi Irlanda Araújo Granja da Silva, da 1ª Vara do Tribunal do Júri.
Motivação – Levado ao prédio da DEHS, Hitallo relatou que a morte de Kaio teria sido encomendada por líderes do tráfico de drogas daquela região, em razão do jovem não ser conhecido no lugar e por suspeitarem que ele poderia estar colhendo informações para outras organizações criminosas. Segundo o delegado, a polícia acredita que Hitallo e o comparsa tenham abordado a vítima com a intenção de roubá-la.
“O infrator argumentou, em depoimento, ser o condutor da motocicleta utilizada na ação criminosa, mas que o comparsa dele, identificado como “Renato”, foi quem efetuou os disparos que atingiram a vítima. Nós desconfiamos que Hitallo esteja mentindo, pelo fato de ter ficado com o celular da vítima e, inclusive, ter confessado à esposa que havia alvejado a vítima. As buscas pelo comparsa dele continuam, para podermos esclarecer o que, de fato, aconteceu no dia do delito”, disse o adjunto da DEHS.
Indiciamento – Hitallo foi indiciado por latrocínio. O delegado afirmou que já representou à Justiça o pedido de conversão da prisão temporária para preventiva. Ao término dos procedimentos cabíveis na DEHS, ele será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), localizado no quilômetro oito da rodovia federal BR-174, onde irá permanecer à disposição da Justiça.

Fonte: PC/AM


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *