- Polícia

Preso suspeito em morte de advogado foragido da Justiça

Horas após ser preso com 21 kg de drogas, o foragido da Justiça Ricardo Patreze do Nascimento da Silva, de 31 anos, conhecido como “Box” foi reconhecido como um dos possíveis envolvidos no assassinato do advogado Marcelino Aguiar da Cunha, de 45 anos. O crime ocorreu no dia 15 de março, no município de Manacapuru, a 65 quilômetros de Manaus. Além dele, já foram presos três suspeitos e um adolescente apreendido.

Patreze foi preso junto a outro homem na manhã desta terça-feira (20), com 21 kg de drogas e duas armas de fogo. A apreensão ocorreu por volta das 5h pela Força Tática (FT), dentro de uma casa que estava em construção no beco Raquel de Souza, localizado na comunidade São Sebastião, bairro Petrópolis, na Zona Sul de Manaus.

De acordo com o delegado Rodrigo Torres,da Delegacia Interativa de Manacapuru, Ricardo era o último suspeito envolvido na morte do advogado que faltava ser preso. Além dele, já estão presos os mandantes do crime, identificados como os irmãos José Daniel e Samuel da Costa Matos, o funcionário da empresa da dupla, Thiago de Azevedo Freitas, 30, e um adolescente de 17 anos, autor dos disparos.

O advogado foi atingido por disparos quando chegava em casa, no Centro de Manacapuru. Assim que parou na frente da residência, um cliente identificado como Augusto César Alexandre Bastos, teria o encontrado. Na ocasião, outro homem se aproximou deles e começou a atirar.

Os disparos atingiram o advogado e o cliente. Eles foram encaminhados para o Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, em Manaus, para os procedimentos médicos. O advogado não resistiu aos ferimentos e morreu.

Conforme as investigações, o advogado morreu no lugar de Augusto César Alexandre Bastos, o “Guto”, de 32 anos, que era alvo dos irmãos José e Samuel por causa de uma desavença antiga.

“No dia do crime, o Marcelino conversava com o Guto na frente da casa dele, quando o grupo criminoso se aproximou e efetuou os disparos que atingiram o advogado e o ombro de Guto, que era o alvo. Infelizmente o advogado acabou vindo a óbito”, disse.

O delegado explicou que Ricardo foi contratado pelo funcionário dos irmãos e chamou o primo dele, o adolescente de 17 anos, para matar Guto.

“Tomei conhecimento da prisão do Ricardo e entrei em contato com o delegado plantonista do 1º DIP para dar cumprimento ao mandado de prisão em nome do foragido. O Ricardo, mais conhecido como Box, é um pistoleiro e tem processos por homicídio. Ele ainda será ouvido aqui na delegacia sobre a morte do advogado”, disse Torres.

Fonte: G1


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *