- Polícia

Tenente PM atira e mata dois colegas de farda; major e civil são feridos gravemente

Dois policiais militares mortos, um gravemente ferido e um civil ferido, foi o saldo de uma discussão ocorrida por voltas das 2h da madrugada deste sábado, 05/01, no interior do veículo Voyage, placas ignorada, usado à serviço da Polícia Militar do Amazonas – PMAM. O autor dos disparos, segundo a Polícia Civil, foi o tenente PM Joselito Pessoa Anselmo, preso em flagrante.

O crime ocorreu por volta das 2h, na rua Monte Horebe, no bairro Colônia Terra Nova, na Zona Norte de Manaus/Amazonas. O grupo retornava de uma casa de festa quando o tenente J. Pessoa, segundo o delegado, Daniel Leão Lucas, plantonista da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros – DEHS, atirou contra seus companheiros. Ainda de acordo com a autoridade, o acusado estava “transtornado” no local do crime.

“Eles estavam em uma casa de show. E, logo que saíram, aconteceu isso [tiros dentro do carro]. Eles estavam muito alcoolizados, inclusive, o autor dos disparos. Só agora de manhã, teve condições de prestar depoimento. Ele estava transtornado lá no local e aqui na delegacia. Ele alega que o carro foi fechado [por um outro veículo] e que ele sacou a arma e efetuou o disparo para fora. Depois ele fala que apagou e não lembra de mais nada. Mas as vítimas sobreviventes confirmaram que o autor dos disparos foi ele”, afirmou o delegado Daniel Leão.

Os mortos, o sargento PM Elizandro Santos Lozada, era lotado na 18ª Companhia Interativa Comunitária e, o cabo PM, Grasiano Monteiro Negreiros, lotado na 12ª Cicom. Os dois feridos, o major PM Ludernilson Lima de Paula e o civil, Robson Almeida Rodrigues, se encontram estáveis e em observação médica.

A Polícia Civil não divulgou detalhes sobre a motivação do crime, contudo, descarta, desde já, a versão do tenente J. Pessoa. De acordo com o delegado Daniel Leão, um dos sobreviventes, o civil Robson Almeida Rodrigues, contou à polícia que o tenente foi o autor dos disparos.

“Nós vamos ter que aprofundar para ver o que aconteceu na casa de shows. Ouvir direito as vítimas, quando tiverem alta”, concluiu.

Fonte: G1/PC/Am


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *