- Política

‘Vamos buscar fazer mais com menos’, diz Mourão sobre saída de militares da fiscalização da Amazônia

Questionado pelo blog sobre a saída das Forças Armadas da fiscalização ambiental na Amazônia, o vice-presidente Hamilton Mourão afirmou no início da manhã desta quarta-feira (10) que agora terá que se “fazer mais com menos”.

Nesta quarta, Mourão comanda a reunião do Conselho da Amazônia onde será anunciada a saída dos militares. Segundo disse o próprio vice-presidente, essa decisão, que será concretizada em abril, já estava prevista anteriormente. Mourão acrescentou que agora a fiscalização será feita pelas agências civis (Ibama e ICMBio), ligadas ao Ministério do Meio Ambiente.

“Reunião prevista desde o ano passado. As ações irão prosseguir com ênfase nos trabalhos das agências civis e priorizando as regiões, onde após exaustivo trabalho de inteligência, as ilegalidades são menores”, disse Mourão ao blog.

Há forte preocupação com o desmonte da fiscalização ambiental na Amazônia depois do distanciamento explícito do presidente Jair Bolsonaro do seu vice-presidente.

Na terça-feira (9), Mourão não foi chamado para uma reunião ministerial. A ausência foi vista no Palácio do Planalto como um gesto simbólico de Bolsonaro para deixar esse distanciamento claro para os ministros.

“Em suma, vamos buscar fazer mais com menos. Lembro a nossa situação fiscal, pois o emprego das Forças Armadas requer crédito extraordinário. Caso necessário, elas estão prontas para continuar a agir”, acrescentou Mourão.

Há temor entre ambientalistas de que a volta do protagonismo do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, possa intensificar na região registros de desmatamentos e queimadas na Floresta Amazônica, além de uma flexibilização maior da fiscalização de garimpos ilegais em reservas indígenas.

Fonte: G1


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *