- Brasil

Corpo de menino morto após ser atropelado durante perseguição policial será enterrado em SP

O corpo da criança que morreu após ser atropelada durante uma perseguição policial na Zona Leste de São Paulo será enterrado nesta segunda-feira (22).

Leandro dos Santos, de 5 anos, e sua mãe, Thayana dos Santos Silva, de 25 anos, foram atropelados na Rua Bela Vista do Sul, no Aricanduva, por volta das 19h de sábado (20). Eles voltavam da casa da avó de Thayana.

O enterro está previsto para ocorrer às 10h no Cemitério da Vila Formosa, também na Zona Leste. O velório ocorre no mesmo local.

A mãe da criança passou por uma cirurgia e continua internada em estado grave no Hospital Santa Marcelina.Caso
O atropelamento ocorreu durante uma perseguição policial depois de um assalto a uma padaria na Rua Miguel Bastos Soares, cerca de 500 metros do local do acidente.

Por volta das 19h, criminosos armados com pistolas e um fuzil a padaria e fugiram em um Fiat Strada branco. Policiais militares foram acionados e começaram a perseguição. Os assaltantes dirigiam em alta velocidade, seguidos de perto pela viatura da PM, quando entraram na Rua Bela Vista do Sul.

O menino Leandro dos Santos e sua mãe estavam na esquina quando foram atropelados por um dos veículos. Moradores da região não souberam precisar se foi o carro dos bandidos ou a viatura que atingiu a mulher e a criança.

O PM que dirigia a viatura perdeu o controle e em seguida colidiu contra um poste. Os criminosos conseguiram escapar.

Em depoimento na delegacia neste domingo (21), nenhum dos dois PMs souberam dizer quem foram os responsáveis pelo atropelamento. O soldado que dirigia o carro relatou que perdeu os sentidos quando passou por uma valeta e que só acordou após a batida contra o poste. O colega dele também afirmou que ficou desacordado, mas por motivos desconhecidos

O menino Leandro chegou a ser socorrido e levado ao pronto-socorro do Hospital Santa Marcelina, mas não resistiu aos ferimentos.

Os policiais também ficaram feridos e foram encaminhados ao Hospital Geral de Guarulhos e ao Pronto-Socorro do Tatuapé.

Um Inquérito Policial Militar (IPM) já foi instaurado para apurar a conduta dos PMs. A Corregedoria da corporação também esteve no local do atropelamento. Inicialmente, os dois soldados foram afastados das ruas para atendimento psicológico. As medidas a serem adotadas ainda vão depender da apuração e da análise psicológica e médica dos policiais.

Fonte: G1


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *