- Brasil

Incêndio atinge fábrica de colchões em Salvador

Inicialmente, os bombeiros precisaram abrir um buraco em uma das paredes da fábrica e assim, criar um acesso para a mangueira de água. Em seguida, eles derrubaram parte de um muro para que as equipes pudessem entrar em uma área da fábrica.

“Nos temos duas frentes de trabalho. Uma na parte da frente e outra na parte de trás. O que deveria ser queimado, já queimou. Tem um galpão que está totalmente protegido. Tem bastante espuma e material”, explicou capitão Leandro, do Corpo de Bombeiros.

O bombeiro disse também que há um galpão da fábrica que não pegou fogo e que as equipes estão monitorando a área para que as chamas não cheguem ao espaço. “Após esse galpão, há também duas reservas de TDI [substância química que é matéria-prima para o mercado de espumas]. Então temos que salvar o galpão que ainda não queimou e fazer com que as chamas não cheguem ao local onde o TDI está armazenado”, contou.

Os bombeiros esclarecem que o produto TDI fica guardado em um ambiente fechado e ele pode explodir caso haja aumento da pressão.

As causas do incêndio não foram informadas pelo Corpo de Bombeiros, mas conforme relatos de funcionários da fábrica, as chamas começaram em uma área onde são produzidos blocos de espuma. Os funcionários relataram, ainda, que a área onde o fogo começou possui muitas máquinas.

“Quem trabalha de madrugada, trabalha bordando os materiais. O incêndio começou na área de resfriamento de bloco [de espuma], que fica no meio da fábrica. A brigada da fábrica tentou apagar o fogo, mas se alastrou rápido. Não há ninguém ferido, todo mundo evacuou a área. O expediente de madrugada acaba 6h. O pessoal estava saindo quando começou o fogo”, explicou Paulo César, funcionário da empresa.

O Corpo de Bombeiros reiterou que os brigadistas da fábrica iniciaram o combate ao fogo mas, por conter muito material inflamável, as chamas se propagaram muito rápido.Moradores que permanecem nas proximidades da fábrica relatam ouvir barulhos de dentro da fábrica, como se algumas estruturas estivessem desabando na parte interna do imóvel.

“Foram várias explosões fortes. Eu mandei meu marido pegar logo a carreta, que costuma ficar colada no muro da fábrica. Eu fiquei desesperada. Os funcionários da fábrica pediram para gente deixar a casa, não ficar próximo. Pediram para gente ir pra casa de parentes por conta do perigo”, relatou Regina Machado, mulher que mora atrás da fábrica.

O bairro de Valéria é próximo a BR-324 e quem passa pela rodovia consegue ver a fumaça. O trânsito na BR está congestionado pois além das chamas chamarem a atenção dos motoristas, que reduzem a velocidade para ver a situação, os veículos não podem ter acesso a região próxima a área do incêndio.

Por volta das 10h30, os bombeiros ainda trabalhavam para debelar as chamas, parte da situação já estava controlada. O diretor-geral da Defesa Civil de Salvador (Codesal), Sosthenes Macedo, está no local. De acordo com ele, o órgão municipal pede a evacuação dos moradores da região e cerca de 20 casas já foram desocupadas.

Fonte: G1


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *