- Brasil

Operação de combate à violência contra mulheres prende 764 suspeitos no país

Polícias civis estaduais prenderam 764 suspeitos de praticar crimes de violência contra mulheres nesta segunda-feira (8) – Dia Internacional da Mulher –, na Operação Resguardo, segundo o Ministério da Justiça.

Ao todo, 16,2 mil policiais estão nas ruas. A pasta, no entanto, não informou os estados onde as prisões foram efetuadas, mas disse que “há participação das 27 unidades da federação” na operação.

Balanço do Ministério da Justiça, divulgado às 12h, mostra que, nesta segunda, a operação resultou no atendimento de 6.396 vítimas, na confecção de 4.115 medidas protetivas e na apuração de 1,4 mil denúncias. Além disso, 4.698 inquéritos foram instaurados e 53 armas apreendidas.Segundo o ministério, a Operação Resguardo ocorre desde 1º de janeiro e, neste período, levou à prisão de quase 9,1 mil pessoas, além da investigação de 46,7 mil denúncias .

Denúncias apuradas: 45.722
Presos (flagrantes e mandados): 9.181
Medidas protetivas: 56.414
Vítimas atendidas: 168.866
Armas apreendidas: 1.226
Visitas e diligências: 70.090
De acordo com Rodrigo Hauer, chefe de gabinete do Ministério da Justiça, essa foi a maior ação já realizada com foco no combate à violência contra a mulher. “Operação contou com policiais civis de todos os estados, mais de 45 mil denúncias apuradas”, disse.A operação ocorre de forma integrada entre as forças de segurança do país. Em Roraima, por exemplo, os investigadores prenderam sete pessoas nesta segunda. Mandados de prisão também são cumpridos em pelo menos outros cinco estados: Rio de Janeiro, Paraná, Rio Grande do Sul, Sergipe e Bahia.No Rio Grande do Sul, são 39 ordens de busca e apreensão, 14 de prisão preventiva e 10 de verificação de medida protetiva de urgência. Até às 7h, no Rio de Janeiro, 25 homens haviam sido presos. Os crimes cometidos por ele são estupros, agressões e não pagamento de fiança.

Fonte: G1


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *