- Brasil

Policiais são presos por suposta atuação em sequestros na Baixada

Dois policiais militares foram presos na última segunda-feira (22) suspeitos de envolvimento no sequestro de um casal e no assassinato de uma testemunha em agosto de 2018, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.Os dois soldados da PM teriam abordado o casal de empresários na porta de casa e levado para um galpão na rodovia Presidente Dutra.

Após libertarem o idoso, de 74 anos, para conseguir o resgate de R$ 150 mil, os suspeitos levaram a mulher dele para uma comunidade em Mangaratiba, Costa Verde do Rio de Janeiro.

Os militares libertaram a última sequestrada dois dias depois, quando seus familiares pagaram R$ 60 mil pelo resgate.

De acordo com o delegado Eduardo Soares da DAS (Delegacia Antissequestro), um outro homem foi sequestrado em frente ao filho e mulher, por ter visto a ação da dupla contra o casal de empresários.

Segundo a Polícia Civil, os PMs são os principais suspeitos do assassinato desta testemunha, que foi encontrada carbonizada dentro de seu carro, em Miguel Couto, bairro de Nova Iguaçu.

Após seis meses de investigação, a Polícia Civil concluiu que um de seus agentes realizava um levantamento dos possíveis alvos destes dois policiais militares.

O policial civil parceiro da dupla foi vítima de homicídio antes que sua prisão fosse decretada. As diligências apontam que o assassinato do agente não tenha relação com os casos de sequestro na Baixada. O delegado Eduardo Soares afirmou,

que os dois soldados, um do 21º BPM (São João de Meriti) e outro do 24º BPM (Queimados), sejam responsáveis por outras ações violentas na cidade.

“As pessoas em Nova Iguaçu tinham verdadeiro temor contra essa dupla de policiais militares. Acredito que eles tenham envolvimento em vários crimes”, concluiu Eduardo.

Em nota, a PM informou que a Secretaria de Estado de Polícia Militar está colaborando com as investigações.

Os dois soldados presos foram levados para a unidade prisional Vieira Ferreira Neto, no bairro Fonseca, em Niterói, região metropolitana do Rio.

Fonte: R7


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *