- Cidade

Adaf promove fórum sobre febre aftosa dentro da programação da 42ª Expoagro

Como parte da programação da 42ª Exposição Agropecuária do Amazonas (Expoagro), a Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf) apresentará, nesta quarta-feira (30/09), às 14h, o 2º Fórum “Amazonas Livre de Febre Aftosa”, que vai abordar o impacto da Instrução Normativa nº 52 para o produtor amazonense. O debate será transmitido pela TV e Rádio Encontro das Águas, no canal 2.5 e frequência 97,7 FM, respectivamente.

O diretor-presidente da Adaf, Alexandre Araújo, destaca que a instrução normativa que vai nortear a discussão foi assinada pela ministra Tereza Cristina em 11 de agosto e reconhece 13 municípios do estado como livres de febre aftosa sem vacinação. “Nesse fórum estaremos tratando das novas orientações e procedimentos que os produtores devem adotar na movimentação de animais para que possamos manter esse status sanitário e expandir o trabalho de tornar o Amazonas livre de febre aftosa sem vacinação como um todo”, observa.

Além de Araújo, participarão da atividade o secretário de Estado de Produção Rural, Petrucio Magalhães Júnior; o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Amazonas, Muni Lourenço; e o superintendente do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) no Amazonas, Guilherme Pessoa.

Os interessados devem se inscrever pelo link https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSeurAOW9z3_rlW-Bg41a7rHmLTKQVACPiuqFBqVaI3LkaKofQ/viewform. Os espectadores poderão interagir com os participantes enviando dúvidas e comentários pelo WhatsApp (92) 99332-7594.

Mais informações sobre os serviços e a programação completa da Expoagro Digital estão disponíveis no site www.expoagro.gov.br.

Amazonas sem aftosa – Os 13 municípios amazonenses (Apuí, Boca do Acre, Canutama, Humaitá, Lábrea, Manicoré, Novo Aripuanã, Pauini, Guajará, Envira, Eirunepé, Ipixuna, Itamarati e parte de Tapauá) do Bloco I do Plano Estratégico do Programa Nacional de Vigilância para Febre Aftosa detêm mais de 65% do rebanho do estado. Ao todo, são 1.020.096 cabeças de gado, entre bovinos e bubalinos.

Com a proposta de ser executado até 2026, o Programa Nacional de Vigilância para Febre Aftosa visa à proteção do patrimônio pecuário nacional. O reconhecimento das zonas livres da doença sem vacinação deve aumentar as exportações (muitos países proíbem a importação de carne de locais onde há vacinação) e também o preço pago aos produtores. A suspensão da imunização nos 49 municípios amazonenses que compõem o Bloco II está prevista para 2022.

Fonte: Divulgação


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *