- Cidade

Secretaria de Saúde moderniza sistema de transferência de pacientes para leitos de apoio

O Sistema de Transferência de Emergência Regulada (Sister) da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) foi modernizado e, a partir desta quarta-feira (02/12), além da remoção de pacientes de unidades de menor complexidade para unidades de urgência e emergência, pacientes estáveis que necessitam de vagas em unidade de retaguarda para avaliação especializada também terão a transferência otimizada com o novo sistema.

A iniciativa faz parte do Programa Saúde Amazonas e busca agilizar o tempo de transferência de pacientes internados na rede de urgência para os hospitais de retaguarda, como a Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ) e Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV). O serviço é gerido pela Central Unificada de Regulação e Agendamento de Consultas e Exames (Cura), instituição vinculada à SES-AM.

Conforme o coordenador de Regulação de Internação e Urgência da Cura, Leandro Pimentel, antes da atualização da ferramenta, as unidades usavam o Sistema Nacional de Regulação (Sisreg), do Ministério da Saúde, que realiza a transferência de pacientes via mensagens trocadas por e-mail, o que tornava o serviço de remoção mais burocrático e lento.

“Na verdade, o nosso requisito fundamental da regulação no Estado do Amazonas é fazer com que esse tempo de espera dos pacientes nas unidades de saúde diminua o tempo que vai permanecer e o tempo que ele tem que ser transferido de uma unidade pra outra. Esse é o nosso principal objetivo e a dinamicidade que foi colocada no sistema de agora”, disse.

Outra melhoria foi a inserção dos campos de raça, com as etnias indígenas. Criado há pouco mais de um ano, o Sister formalizou, organizou a fila de pacientes e deu mais transparência ao processo.

Assim, a partir desta quarta, todas as solicitações de transferências de pacientes internados em prontos-socorros para leitos de retaguarda em especialidades clínicas e cirúrgicas como cardiologia, ortopedia cirúrgica adulto e pediátrica, neurocirurgia para HUGV, dentre outras, passarão pelo Sister.

Conforme o último levantamento, em um ano de funcionamento, 11,9 mil transferências para a rede de urgência foram autorizadas pelo Sister, sendo 4,7 mil na capital e 7,1 mil nos municípios do interior. Antes, o paciente do interior aguardava de três a cinco dias, em média, para ser transferido para a capital. Hoje, a média de espera é de 33 horas. Em Manaus, a espera reduziu de 48 horas para 12 horas.

Treinamento – Profissionais dos Núcleos Internos de Regulação de todas as unidades da capital participaram, na última segunda-feira (30/11), do treinamento com os novos formulários do Sister para transferências de pacientes estáveis em prontos-socorros para leitos de apoio/retaguarda.

A diretora do Hospital e Pronto-Socorro da Criança da Zona Sul, Silvia Picanço, destacou a facilidade do sistema, que agora pode ser utilizado até mesmo pelo celular.

“Antes a gente usava o Sisreg, era um sistema que utilizava e-mails, e hoje, através do Sister, que vai fazer essa regulação, a agilidade no processo de transferência será bem melhor, a gente consegue fazer pelo próprio celular, acompanha de perto essas solicitações e será de grande valia. Eu gostei muito”, disse.

Fonte: Divulgação/SES-AM


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *