- Cidade

Secretário de feiras e mercados, através da Semacc e governo estadual, flexibilizam horários para feiras e mercados de Manaus

Através de ações fortes em parceria com as Secretarias municipais de obras, limpeza urbana e de saúde, a Secretaria Municipal de Agricultura, Comércio e Camelô (Semacc), o secretário Renato Frota não vem medindo esforços para melhorar a vida dos permissionários das feiras e mercados de Manaus com a mudança da ordem cronológica e apesar das dificuldades, o representante da Semacc conseguiu adequar esses locais com novos horários para as feiras dos bairros das 7h às 17h e mercados das 4h às 15h com, lavagem, limpeza e sanitização para conter o avanço da Covid-19.
Os horários foram alterados após conversa com o governador Wilson Lima (PSC), que foi muito sensível ao atender a solicitação e flexibilização para abastecer às famílias e pequenos comércios. A extensão dos horários teve o objetivo de não levar mais prejuízos para esses profissionais.
As feiras abastecedoras como a Feira da Banana e da Manaus Moderna tiveram seus horários de funcionamento das 4 da manhã até 15h pois essas feiras abastecem as outras feiras e nesse horário os outros feirantes estão comprando seus produtos diretamente desses fornecedores para revender seus produtos.
“Vários comerciantes, feirantes e camelôs estavam tendo grandes prejuízos por causa desses horários. Após conversa e entendimento com o governador Wilson Lima chegou-se aos horários que vai ajudar bastante para que recuperem seus lucros e não desperdicem os produtos que acabavam estragando, pois não tinha ninguém para comprar”, destacou.
As feiras dos bairros, de acordo com o secretário Renato Frota, são feiras que não aglomeram pois vendem seus produtos aos poucos, enquanto que as abastecedoras são feiras alimentadoras dessas feiras.
A sensibilidade e o interesse nessa área fez com que os feirantes tivessem uma atenção especial por parte do representante da Semacc, ainda mais pelos 12 anos em que foi feirante, fazendo entrega em outras feiras. “Durante esse período de pandemia os feirantes e produtores rurais foram solidários com a população e fizeram doações para asilos, casas de caridades e associações. São pessoas simples e recebem pessoas batendo em seus boxes e ajudam na medida do possível. Mas a ajuda chega de alguma forma e isso é uma escola”, avaliou Renato Frota.
Na oportunidade, o secretário destacou ainda que os permissionários e o feirantes terão mais atenção do poder público e que as feiras e mercados deverão sair do esquecimento com projetos grandiosos através da prefeitura com respostas positivas para esses profissionais e camelôs.

Fonte: Divulgação

 

 

 


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *