- Cidade

Uma das capitais com piores índices de arborização em todo o país

Uma clareira se ergue imponente em meio a uma das mais exuberantes florestas tropicais do mundo. Essa lacuna de verde é Manaus e conquistou, segundo estudos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), uma das piores posições do país quando o assunto é arborização. Esforços realizados nos quatro últimos anos.

De acordo com o último levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Manaus está na antepenúltima posição com apenas 23,90% dos domicílios em áreas urbana ordenada com a presença de arborização.

Essa arborização – medida pela pesquisa – é aquela existente nas vias, aparelhos públicos (praças, canteiros, calçadas e etc), nas redondezas dos domicílios.

Segundo o IBGE, as capitais com a maior ausência da cobertura verde são Rio Branco (AC) com 13,78% seguido de Belém (PA) com 22,3%, e Manaus. Entre as mais arborizadas estão Campo Grande (MS) com 96,30%, Goiânia (GO) com 89,31% e Porto Alegre (RS) com 82,73%.Do outro lado
Na contramão disso, mais de 33 mil árvores vêm sendo cultivadas por iniciativa da administração pública municipal, que tenta mudar essa realidade. Mas não tem sido tarefa fácil.

De acordo com dados da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SEMMAS), foram 42 mil mudas foram plantadas somente nos seis primeiros meses de 2019 em Manaus. As “miudinhas” foram espalhadas pelos canteiros centrais, praças e parques em todas as zonas da capital.

Elas ainda cabem nas palmas das mãos, mas, além de embelezar a estética da cidade e purificar o ar, elas também trazem conforto térmico ao ambiente. Para se ter uma ideia, a arborização urbana pode diminuir a temperatura local em até 8º C. E esse é apenas um dos inúmeros benefícios em manter as árvores em pé.

O tipo de vizinha que todo mundo gostaria de ter, certo? Nem sempre. Uma dos principais dificuldades em retirar Manaus dessa infeliz estatística é o vandalismo protagonizado pelos próprios moradores da capital.“Um dos grandes desafios é vencer o vandalismo e a ausência de espaço permeável para plantio nos logradouros públicos. Além de promover a melhoria da qualidade do solo para recebimento de mudas com mais de 1,80 metro de altura, para garantir que as mesmas sobrevivessem. Desde 2016 mapeamos 114 logradouros para plantio de árvores e desde 2018, 44 logradouros para jardins”, contou o secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Antônio Nelson de Oliveira Junior.

O Programa
Desse mapeamento surgiu, em 2016, o “Programa Arboriza Manaus” da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SEMMAS). A ideia era intensificar a arborização urbana e retirar Manaus do grupo das cidades menos arborizadas do País – do ponto de vista da arborização de calçadas frente a lotes na área urbana.

Além de plantar, as equipes da secretaria acompanham o crescimento em busca de combater atos de vandalismo.“A cidade já tem quase 33 mil novas árvores em crescimento, desde 2016, quando a Semmas passou a desenvolver um trabalho planejado e sistematizado de arborização, com metas a serem cumpridas e uma equipe de campo trabalhando diariamente em ações de manutenção, reposição e novos plantios. As árvores estão plantadas em vias públicas, canteiros centrais, calçadas, áreas verdes, áreas de preservação permanente e praças em diversas zonas da cidade”, disse o secretário Antônio Nelson de Oliveira Junior.

Balanço
Segundo dados da Semmas, em 2016 foram plantadas 14.580 mudas de árvores plantadas. Em 2017 foram 10.163. Em 2018 a quantidade foi de 6.162. E, de janeiro a maio de 2019, foram 42 mil novas plantinhas.

As mudas são de plantas nativas da floresta como o pau-pretinho e o majestoso ipê em sua surpreendente paleta de cores, são algumas das espécies escolhidas para devolver o verde a cidade.

“Essas espécies são ideais para sombreamento e com raízes que não causam danos às calçadas e pavimento das vias”, contou o secretário.Além das árvores de grande porte, também têm sido cultivadas mudas ornamentais. Desde 2018 já foram plantadas mais de 110 mil mudas.

“As ações de arborização e paisagismo permitirão o surgimento na cidade de bosques, parques lineares e jardins comunitários, possibilitando que estes passem também a integrar um sistema municipal de áreas protegidas, a ser instituído pelo prefeito Arthur Virgílio Neto”, disse o secretário.

Como ajudar
“Pedimos que a população não arranque galhos para sinalização de pane em veículos, não utilize as árvores como cabides, nem perfurando com pregos. E irrigar quando possível as mudas que estejam na frente de suas casas ou locais de trabalho (principalmente no verão)”, disse.E quem tiver espaço no terreno de casa que pode ser destinado ao plantio, pode buscar um dos pontos de distribuição de mudas oferecidos pela Prefeitura de Manaus.

Eles estão localizados nos parques do Mindú, Lagoa Senador Arthur Virgílio Filho, Ponte dos Bilhares, Nascentes do Mindu e Viveiro Municipal.

“Temos o projeto Pedágio Ambiental, que consiste na realização de ações itinerantes de distribuição de mudas em pontos diversos da cidade. Um caminhão carregado com mudas estaciona num determinado local e os técnicos da secretaria iniciam a distribuição de mudas frutíferas, ornamentais e medicinais. O objetivo é estimular o plantio de mudas nos quintais urbanos, como forma de contribuir para a arborização da cidade”, contou o secretário.

Fonte: G1/AM


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *