- Cultura

Governo do Amazonas abre espaços culturais para projetos contemplados pelos editais da Lei Aldir Blanc

Os espaços culturais administrados pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, estão abertos para atender projetos contemplados pelos editais Prêmio Feliciano Lana e Prêmio Manaus de Conexões Culturais, da Lei nº 14.017/2020, conhecida como Lei Aldir Blanc. Entre os equipamentos disponíveis estão os centros culturais Palácio da Justiça, Povos da Amazônia, Palácio Rio Negro e Usina Chaminé, Teatro da Instalação, Cineteatro Guarany, Palacete Provincial, Casa das Artes e Galeria do Largo.

Segundo o secretário Marcos Apolo Muniz, os proponentes podem fazer a solicitação pelo e-mail gabinete@cultura.am.gov.br. Ele adianta que a pasta vai abrir a agenda de pautas para o Teatro Amazonas na segunda quinzena de janeiro de 2021.

“Desde o início dos trâmites da Lei Aldir Blanc, a Secretaria está empenhada em fazer esse recurso chegar à classe, que foi bastante prejudicada por conta da pandemia. Agora, começamos a enxergar um recomeço, uma reconstrução e, conforme orientação do governador Wilson Lima, estamos preparados para oferecer também este apoio, com a abertura dos nossos espaços para ocupação”, comenta o titular da pasta de Cultura e Economia Criativa. “Também oferecemos suporte na divulgação dos projetos no Portal da Cultura”.

Muniz destaca que os espaços culturais têm equipes treinadas para o cumprimento dos protocolos de segurança em prevenção a Covid-19, como distanciamento social, uso obrigatório de máscaras, além de totens de álcool em gel em locais estratégicos.

“É importante que todos tenham consciência que estamos numa pandemia e os protocolos de segurança são, por enquanto, a única maneira de conter a proliferação do novo coronavírus”, comenta o secretário.

Projetos – A programação de dezembro começou com o show “Alaídenegão 13 anos”, no Centro Cultural Povos da Amazônia. A banda amazonense recebeu o público, em número reduzido por conta da pandemia, no Espaço Rio Amazonas, onde fica a exposição “Os Filhos da Nossa Terra” sob uma cúpula confeccionada em fibra de arumã e com a exposição de estátuas assinadas pelo artista plástico Felipe Lettersten, numa homenagem a povos distintos do continente americano.

O Povos da Amazônia também vai sediar, no dia 19, às 19h, o lançamento do filme “Entre Nós”, com texto e direção de Arnaldo Barreto.

“Entre Nós” conta o Drama de Amália (Izabel Vega) e Jandira (Dione Maciel) que vivem na Amazônia, nas margens do rio Tapajós. A história acontece quando jovem Amália (Fernanda Marquez) se envolve com os irmãos Ferreira, Renato (Lino Camilo) e Ricardo (Denis Carvalho) causando uma grande tragédia que marcará para sempre a sua vida e de todos da Vila Paraíso. A classificação indicativa é para 16 anos.

Já o Cineteatro Guarany foi palco do Circuito de Música Instrumental Manauara, com Abner Viana Sexteto e participação de Jander Manauara, enquanto o Teatro da Instalação recebeu os espetáculos “Eczema” e “Ano 5”, da Companhia Storge. A Usina Chaminé foi palco para o projeto “Leituras Dramáticas da peça Constance, a cantora de depois de depois do fim do mundo e o submarino do Rio das Sombras”.

Os projetos foram contemplados no Edital Prêmio Manaus de Conexões Culturais, da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), por meio da Lei Aldir Blanc, e têm apoio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa.

Fonte: Divulgação


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *