- Economia

A crise econômica da Argentina em 6 gráficos

A Argentina está enfrentando mais uma vez uma crise econômica, com forte desvalorização de sua moeda e inflação crescente.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) concedeu um empréstimo emergencial para o país em junho. A trajetória dos indicadores econômicos, contudo, cada vez mais desenha um cenário de recessão.

Tudo isso acontece em meio a um governo que tomou posse, em dezembro de 2015, visto pelo mercado financeiro como uma nova esperança para a Argentina.

Durante sua campanha, o presidente Mauricio Macri defendeu uma política econômica voltada para o mercado, que daria estabilidade ao país e pavimentaria o caminho para reverter um século de desempenho frustrante.

A BBC analisou seis fatores que ajudaram a impulsionar a crise argentina.

Desvalorização do peso

Foi um ano sombrio para a economia argentina e para o peso.

As moedas de praticamente todos os países emergentes têm perdido valor no decorrer dos últimos meses, devido ao aumento das taxas de juros nos Estados Unidos.

Isso porque o aperto na política monetária americana tornam os títulos públicos do país – que estão entre os mais seguros do mundo – mais lucrativos e estimulam investidores em busca de maior retorno e menor risco a transferirem seus recursos para lá.

O peso, contudo, teve queda maior do que qualquer outra moeda neste ano.

Fonte: Divulgação

 


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *