- Economia

IBGE prevê aumento de 1,7% da safra de grãos em 2019

A produção de cereais, leguminosas e oleaginosas no Brasil deve crescer 1,7% em 2019, chegando 231,1 milhões de toneladas. É o que aponta o segundo prognóstico para a safra, divulgado nesta terça-feira (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na primeira previsão, divulgada em novembro, o instituto estimava que a safra do ano que vem seria 0,2% menor que a de 2018. A mudança nos números, segundo o gerente da pesquisa, Carlos Alfredo Guedes, se deve, principalmente, pela revisão da expectativa para safra de milho, que aumentou em 5,1 milhões de toneladas desde o primeiro prognóstico.

“Essa alta parte, principalmente, do Mato Grosso, que é o maior produtor de milho do país”.

Guedes enfatizou que trata-se de uma estimativa, já que o grão ainda sequer foi plantado para a colheita de 2019. “A gente está se baseando numa média normal de produção, mas as condições climáticas, que interferem muito nas plantações, podem mudar este quadro”.

Segundo o prognóstico, a área total a ser colhida no próximo ano deve chegar a 62 milhões de hectares, 1,9% maior que a deste ano. Segundo o IBGE, o aumento deve ser puxado pela produção de milho e de caroço de algodão. Em contrapartida, é previsto declínio da colheita de soja, arroz e feijão.

Safra 2018
Para 2018, a expectativa mais atual (a 11ª, de novembro) é de produzir 227,3 milhões de toneladas, o que representaria uma queda de 5,5% ante o ano passado, quando houve recorde de produção. Ainda assim, se a previsão se confirmar, a safra será a terceira maior da série histórica iniciada em 1975, atrás somente de 2017 (240,6 milhões) e 2015 (209,7 milhões).Guedes acredita que a produção deste ano chegará “bem próxima” do recorde histórico.

“Se a gente não tiver problema climático na Região Sul, como a gente teve em 2017, a gente pode ter elevação da safra de soja. E no caso do milho segundo safra, se mantiver nos preços que estão, podemos ter ainda aumento da área de plantio”

A área a ser colhida em 2018 está estimada em 60,9 milhões de hectares, 282,3 mil hectares menor que a de 2017.

Arroz, milho e soja são os principais produtos da safra brasileira e respondem por 93,1% da produção do país e por 87,2% da área plantada neste ano.

Dentre os cinco produtos de maior importância para a próxima safra de cereais, leguminosas e oleaginosas, três devem apresentar variações negativas na produção, em relação ao ano anterior: arroz (4,5%), soja (0,2%) e feijão (1,3%). Já a produção de caroço de algodão e milho em grão, debem crescer 5,5% e 6,2%, respectivamente.

Os números da 11ª projeção para 2018 são compostos em 81% por informações de campo e 19% por previsões. O Mato Grosso lidera como maior produtor nacional, com uma participação de 26,8%, seguido pelo Paraná (15,4%) e Rio Grande do Sul (14,8%).

Mais café do que nunca
Já a produção de café baterá recorde este ano. Segundo Guedes, gerente da pesquisa, será a maior safra do grão de toda a série histórica do levantamento. Ao todo, o país já produziu 3,6 milhões de toneladas, ou 59,6 milhões de sacas de 60 kg.

“A gente nunca produziu tanto café. Tem dois fatores aí. No caso do café arábica, tem a bianualidade da produção. E para as duas qualidades, as condições climáticas foram muito favoráveis”, disse.

Fonte: G1


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *