- Economia

Petrobras (PETR4) encontra hidrocarbonetos em poço; PF na porta da petroleira, hoje

A Petrobras (PETR4) identificou a presença de hidrocarbonetos no poço pioneiro no bloco CM-657, localizado no pré-sal da Bacia de Campos, informou uma companhia em comunicado nesta quarta-feira (23).

Segundo a Reuters, o poço pertence a um bloco na qual a Petrobras é operadora, com 30% de participação, e tem como sócias a norte-americana ExxonMobil, com 40%, e a norueguesa Equinor, com 30%.

“Os dados do poço serão concluídos para melhor avaliar o potencial e direcionar como atividades exploratórias na área”, disse a estatal brasileira.

Petrobras (PETR4) diz que pode recuperar até R$ 16 bi após ganhar causa tributária

O poço
O poço 1-BRSA-1376D-RJS (Naru) está a aproximadamente 308 milhas da cidade do Rio de Janeiro, em profundidade d’água de 2.892 metros, segundo a Petrobras.

O bloco em que ele se encontra foi adquirido pelas empresas na 15ª Rodada da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), em março de 2018.

PETR4: Polícia Federal

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quarta-feira, 23, a 75ª fase da Operação Lava Jato, denominada Boeman.

Cerca de 50 agentes cumprem 25 mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro, em São Paulo e em Sergipe. Além disso foram expedidas ordens para bloqueio de valores dos investigados.

A ofensiva tem como base delação que revelou supostos crimes de corrupção, evasão de divisas e lavagem de dinheiro durante o processo bilionário de contratação pela Petrobras do fornecimento de navios lançadores de linha (PLSV).

As informações foram repassadas ao Ministério Público Federal por lobistas que atuavam junto a funcionários da companhia e agentes políticos com influência na estatal.

A PF apurou que um dos investigados supostamente recebeu indevidamente informações privilegiadas junto a setores da Petrobras para a propostas das vencedoresas da licitação. Já os lobistas delatores estão ficado responsáveis ​​por garantir, por meio de contatos políticos, que as empresas estrangeiras viessem a ser incluído no processo competitivo.

Fonte: R7


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *