- Esportes

Botafogo se apega a volume do jogo com o Goiás, mas precisa ser mais eficiente contra o Cuiabá

O Botafogo entra no Estádio Nilton Santos às 21h30 da próxima terça-feira para enfrentar o Cuiabá com alguns alentos que podem deixar o time de Bruno Lazaroni em vantagem no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. O mais concreto diz respeito aos números da equipe na última vez em que entrou em campo.

A partida contra o Goiás, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro, alimenta esperança por um salto de qualidade no desempenho do Botafogo, especialmente pelo primeiro tempo, em que o time apresentou bom volume e objetividade.

Os números do confronto indicam melhorias em relação às últimas partidas e são superiores em comparação com todos os confrontos da temporada.
Contra o Goiás, o Botafogo teve mais finalizações do que em todos os jogos disputados em 2020, inclusive os amistosos. Foram 22 chutes, sendo sete no gol. Desde outubro do ano passado, o time alvinegro não finalizava tantas vezes.

Além disso, o Bota teve mais posse de bola (62%) do que em toda a temporada, o que ilustra o domínio alvinegro no Nilton Santos. O que deixou boa impressão foi que os comandados de Bruno Lazaroni usaram essa posse para ir à frente e não apenas de forma inofensiva, como aconteceu em outros momentos quando o time teve mais a bola do que o adversário.

– Nós tivemos praticamente o dobro de finalizações do adversário. Tivemos mais escanteios e bolas cruzadas na área. Faltou, talvez em alguns momentos, ganhar os duelos individuais, principalmente nas situações de um contra um pelos lados do campo. Faltou um pouquinho de tranquilidade. Nós tivemos pelo menos cinco chances claras de gol – analisou Bruno na ocasião.

Por outro lado, a falta de eficiência diante do Goiás incomodou. Se ficou com a bola, foi propositivo e chutou mais a gol, o Botafogo não apresentou recursos suficientes para vencer o bloqueio esmeraldino e marcar gols. O empate em 0 a 0 foi o décimo da equipe no Brasileirão.

Situação que Bruno Lazaroni teve tempo para conversar com o elenco. A última semana foi a primeira sem jogos para o Botafogo desde o início do campeonato nacional, em 12 de agosto. Com seis dias seguidos de treinamentos a serem completados nesta segunda, o técnico terá tido tempo para tentar acertar as decisões no último terço, além de encontrar variações para que o Bota consiga transformar o volume em resultados positivos.

– Foi um jogo em que a gente teve superioridade técnica e física sobre o Goiás. Faltou um pouco de tranquilidade nas tomadas de decisões. É uma questão que o Bruno está passando para nós nos treinamentos, para chegarmos lá e termos a capacidade de criar jogadas e ter mais tranquilidade e frieza para que possamos conseguir marcar o gol – revelou Pedro Raul na última semana.

Além dos números contra o Goiás e da semana de descanso, o Botafogo ainda pode ter como reforço os problemas do Cuiabá. Como adiantou o ge no último domingo, o adversário tem pelo menos 11 desfalques. O time de Marcelo Chamusca ainda chega ao Rio mais desgastado depois de ter entrado em campo duas vezes (quarta e sábado) na última semana pela Série B do Brasileirão.

Fonte: Globo esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *