- Esportes

Caiu no Horto? Galo quase triplica pontos em casa no turno em relação a 2017

Falta uma rodada para o fim do primeiro turno do Brasileirão. O Atlético-MG faz, até aqui, boa campanha. É o quinto colocado, com 30 pontos, e luta por uma vaga na próxima edição da Taça Libertadores. O rendimento em casa tem ajudado: dos 30 pontos disputados no Independência, como mandante, conquistou 22. Os números são ainda mais positivos se comparados aos da última temporada.

Mais com chuteira de Cazares, Elias faz um dos melhores jogos com a camisa do Galo

Em 2017, ao contrário deste ano, o aproveitamento como mandante no Brasileirão foi um grande problema. Foi esse, inclusive, o principal motivo da demissão do treinador Roger Machado. O Galo também disputou 10 partidas em casa no primeiro turno do ano passado. Venceu apenas duas, contra Avaí (1 a 0) e Cruzeiro (3 a 1). Empatou com Ponte Preta e Sport (ambos por 2 a 2). Perdeu para Fluminense (2 a 1), Atlético-PR (1 a 0), Santos (1 a 0), Bahia (2 a 0), Vasco (2 a 1) e Corinthians (2 a 0).

O aproveitamento rendeu apenas oito pontos – em 30 disputados. Foi o “fiel da balança” para que o Atlético-MG não conquistasse uma vaga para a Libertadores 2018.

A conclusão é que o rendimento do Galo como mandante no primeiro turno do Brasileirão é quase três vezes melhor que o do ano passado. Faltaram dois pontos para que fosse exatamente três vezes melhor. “Faltaram”, no passado, porque os números do Galo em casa no turno já são consolidados. O último jogo da primeira metade do campeonato é fora de casa, contra o Botafogo, às 16h (de Brasília) do próximo domingo. Voltando a falar dos números no Horto, há um fator importante a ser lamentado: os jogos em que o Atlético-MG deixou pontos para trás.

No Brasileirão, com exceção do empate contra a Chapecoense (3 a 3), o time de Thiago Larghi só perdeu pontos no Horto nas derrotas para Flamengo e Internacional (ambas por 1 a 0). Acontece que são dois adversários diretos na briga por título/Libertadores. Foram seis pontos deixados para trás em dois “jogos de seis pontos”. Além de não somar, o Galo “ajudou” rivais diretos. Pensando em returno, é algo a ser corrigido.

De qualquer maneira, vale destacar a recuperação dos bons números em casa. O Independência, que já foi palco de estatísticas espetaculares do Atlético-MG em 2012 e 2013, volta, aos poucos, a ser um grande trunfo do Galo. E é impossível não destacar: os números quase três vezes melhores foram conquistados por um elenco consideravelmente mais barato. Com uma economia nas cifras, o Alvinegro tem recuperado a máxima do “caiu no Horto, tá morto”.

Fonte: Globo esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *