- Esportes

Com modelo estagnado e em busca de soluções, Inter vira refém dos gols de bola parada

Miguel Ángel Ramírez tenta superar a pressão e recolocar o Inter no rumo das vitórias. Em busca de evolução, o treinador vê o time com dificuldade para superar a marcação adversária com a bola em andamento. Os últimos cinco gols da equipe saíram em jogadas de bola parada.

Na vexatória goleada sofrida por 5 a 1 para o Fortaleza no último domingo, Praxedes marcou de cabeça ao completar a cobrança de falta de Moisés. Foi o quinto jogo seguido que o time não conseguiu balançar as redes em uma jogada construída com a bola em andamento.

A sequência iniciou na decisão do Gauchão, quando Rodrigo Dourado também marcou de cabeça após falta cobrada por Moisés no empate em 1 a 1 com o Grêmio. Depois, o Colorado se despediu da fase de grupos da Libertadores no 0 a 0 com o Always Ready.

Os últimos gols do Inter
Grêmio 1 x 1 Inter – Moisés cobra falta na cabeça de Dourado
Inter 2 x 2 Sport – Edenilson de pênalti / Edenilson cobra escanteio na cabeça de Lindoso
Vitória 0 x 1 Inter – Galhardo de pênalti
Fortaleza 5 x 1 Inter – Moisés cobra falta na cabeça de Praxedes
O terceiro empate consecutivo veio na abertura do Brasileirão, quando ficou no 2 a 2 com o Sport. Edenilson marcou de pênalti e Rodrigo Lindoso fez de cabeça após escanteio batido pelo camisa 8. E, na vitória por 1 a 0 sobre o Vitória pela estreia na Copa do Brasil, Thiago Galhardo fez de pênalti.

O último gol marcado em uma jogada com a bola em andamento ocorreu no dia 20 de maio, quando o Inter superou o Olimpia por 1 a 0 em Assunção. Na ocasião, Moisés cruzou, Marcos Guilherme ajeitou e Yuri Alberto garantiu a vitória.
O cenário foi diagnosticado internamente. Entre as cobranças ao técnico, aparece a necessidade de corrigir a lentidão na transição para o ataque e superar o bloqueio rival. Ainda em Fortaleza, o vice de futebol João Patricio Herrmann admitiu que o Inter estava estagnado.

O trabalho do Miguel tem ajustes a serem feitos. Não acredito que ele seja inflexível, que não ouça o meio, atletas. As correções internas serão feitas. Já têm sido. Sentimos que este modelo parou de evoluir. Precisamos resolver o mais rápido e entender a cultura gaúcha de jogar futebol e do Inter – afirmou.

O desafio é um dos que Ramírez precisa superar nesta necessidade de evolução. O Colorado tenta apresentar novidades já na quinta-feira, quando recebe o Vitória às 21h30, no Beira-Rio, pelo jogo de volta da terceira fase da Copa do Brasil.
Como ganhou por 1 a 0 em Salvador, os gaúchos podem até empatar que se classificam às oitavas de final. Caso percam por um gol de diferença, a decisão será nos pênaltis. Derrota a partir de dois gols de diferença elimina o Inter.

Fonte: Globo Esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *