- Esportes

CS:GO: Apoka, guerri e mais seis brasileiros são suspensos por “bug do coach”

Oito treinadores brasileiros de Counter-Strike: Global Offensive foram punidos pela Esports Integrity Comission (ESIC) por utilizar o “bug do coach”. Além de Ricardo “dead”, que teve a punição original estendida, Alessandro “Apoka” (BOOM), Arno “Arnoz1k4”, Arthur “prd” (RED Canids), Bruno “ellllll” (paiN), Henrique “rikz” (DETONA), Nicholas “guerri” (FURIA) e Pedro “peu” (W7M) foram suspensos pela comissão.

A lista, que conta com 37 nomes, foi divulgada no início da manhã desta segunda-feira. As suspensões variam de 3,75 a 36 meses e são válidas em eventos parceiros da ESIC, como os organizados por ESL, DreamHack e BLAST – o órgão, porém, incentiva que outras organizadoras adotem a punição.

Treinadores brasileiros suspensos

Treinador Time atual Times (ano) em que utilizou o bug Quantidade de rounds bugados Redução da pena Suspensão (meses)
Apoka BOOM Luminosity (2017), INTZ (2018), BOOM (2020) 61 85% 5.4
Arnoz1k4 Sem time Evidence (2019) 26 0% 10
dead Sem time SK (2017), MIBR (2020) 4 35% 6.5
guerri FURIA FURIA (2019) 26 60% 4
ellllll paiN Wild (2018), paiN (2019) 49 0% 10
peu W7M W7M (2019) 4 0% 10
prd RED Canids Neverest (2020) 42 0% 10
rikz DETONA DETONA (2019) 11 0% 10

Os casos foram encontrados após uma análise comandada por Michal Slowinski, juíz polonês que foi responsável por descobrir que treinadores estavam abusando do bug do jogo. Em um processo que envolveu partes automatizadas e humanas, a ESIC revisou cerca de 20% de uma base de dados de 99,650 mil demos (os replays dos jogos) – a segunda e última parte da investigação deve ser publicada no final de outubro. Depois de identificados os casos de utilização do bug, eles foram classificados em níveis (que variam de acordo com o número de rounds e frequência). Treinadores que confessaram e colaboraram com as investigações tiveram suas penas reduzidas.

Comandante da FURIA, guerri foi pego usando o bug em dois duelos em março de 2019, na segunda semana da 7ª temporada da ECS. O treinador teve a pena reduzida em 60% e ficará fora por quatro meses. guerri já havia se manifestado publicamente sobre o uso do bug e afirmado que não comunicou as informações obtidas aos jogadores.

Apoka, líder da BOOM, foi pego no bug em seis oportunidades, em jogos entre outubro de 2017 e agosto de 2020, enquanto ele representava Luminosity, INTZ e a própria BOOM. O treinador teve a pena reduzida em 85% e ficará suspenso por cerca de 5 meses e meio. Em comunicado, Apoka afirmou que não se comunicou e sequer mexeu o mouse nos casos mais antigos, pois está afastado do PC e atrás dos jogadores na gaming house. O treinador colocou o cargo à disposição dos jogadores e da organização.

Os outros treinadores punidos, que já haviam manifestado publicamente o uso do bug, não tiveram redução na pena. prd, rikz, ellllll e Arnoz1k4 foram banidos por 10 meses, enquanto peu ficará fora por cinco.

dead, que já está suspenso desde 31 de agosto, teve sua punição estendida. Além dos três casos já conhecidos, o treinador também foi flagrado no bug durante um round de uma partida da SK, em março de 2017.

Além dos brasileiros, outros 29 treinadores foram punidos. A suspensão mais longa é de Aleksandr “MechanoGun”, da Hard Legion, punido por três anos. Entre os nomes estão Slaava “Twista”, treinador da ENCE, Allan “Rejin”, da mousesports, e Nicolai “HUNDEN”, da Heroic. Os três já estavam suspensos pelas suas organizações. Outros treinadores conhecidos, como Faruk “pita”, Sergey “starix”, Robert “RobbaN”, Mariusz “Loord”, Andrey “Andi”, Alexander “ave”, Henrik “FeTiSh” e Sergey “lmbt”, também foram pegos.

Fonte: Globo esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *