- Esportes

Dana White critica atuação de Borrachinha: “Não foi a luta do ano, e sim o domínio do ano”

Para Dana white, aquela que seria a “Luta do Ano” entre Israel Adesanya e Paulo Borrachinha transformou-se no “Domínio do Ano”. Durante a coletiva de imprensa após o UFC 253, o presidente da organização não escondeu a frustração pela má atuação do brasileiro. Segundo ele, foi uma performance estranha.

– Estávamos esperando a “Luta do Ano” e o que vimos foi o “Domínio do Ano”. Foi estranho porque, se olharmos todas as outras lutas de Borrachinha, ele sempre foi para cima dos adversários como se eles lhe devessem dinheiro. Nesta, eu acho que ele acertou um jab a luta inteira. Não tentou o clinche na grade, não tentou pressionar, ficou voltando ao centro do octógono. Foi muito estranho.

O dirigente esperava que Borrachinha lutasse de forma similar à que lutou contra Yoel Romero, quando foi agressivo durante toda a luta, pressionando o cubano e assumindo riscos para vencer. No entanto, o que se vou foi uma performance conservadora, sem agressividade, o que tornou a vitória do nigeriano, na sua opinião, fácil.

– Se ele tivesse lutado como sempre lutou – lembrem da sua luta contra Yoel Romero, um dos caras mais perigosos de todos os tempos! Desta vez Paulo ficou à distância recebendo golpes na perna. E na hora que decidiu colocar Adesanya contra a grade, logo depois voltou para o centro do cage. Ele não tentou nenhuma vez o clinche, acertou um jab e não partiu para golpear quando Adesanya soltava os chutes. Eu fiquei olhando e pensando: “Que p*** é essa?” Adesanya não tinha nada com isso, fez a sua luta e fatiou Borrachinha pedaço por pedaço e fez parecer uma vitória fácil.

Para Dana White, a estratégia do campeão de minar as pernas de Borrachinha, e a forma como ele desmantelou o brasileiro, foram dignas de uma verdadeira clínica de trocação.

– Adesanya deu uma clínica de trocação. Os três primeiros chutes acabaram com as pernas de Borrachinha, e deixou marcas na altura do joelho. Dava para ver o inchaço ao lado do joelho. Depois a canelada na cabeça desmontou Paulo. Foi uma vitória fácil de Adesanya.

UFC 253
26 de setembro de 2020, na Ilha da Luta, em Abu Dhabi
CARD PRINCIPAL
Israel Adesanya venceu Paulo Borrachinha por nocaute técnico aos 3m59s do R2
Jan Blachowivz venceu Dominick Reyes por nocaute técnico aos 4m36s do R2
Brandon Royval venceu Kai Kara-France por finalização aos 48s do R2
Ketlen Vieira venceu Sijara Eubanks por decisão unânime (triplo 29-28)
Hakeem Dawodu venceu Zubaira Tukhugov por decisão dividida (28-29, 30-27 e 29-28)
CARD PRELIMINAR
Brad Riddell venceu Alex Leko por decisão unânime (triplo 29-28)
Jake Matthews venceu Diego Sanchez por decisão unânime (triplo 30-26)
Ludovit Klein venceu Shane Young por nocaute a 1m16s do R1
William Knight venceu Aleksa Camur por decisão unânime (29-28, 30-27 e 30-27)
Juan Espino venceu Jeff Hughes por finalização aos 3m48s do R1
Danilo Marques venceu Khadis Ibragimov por decisão unânime (29-28, 29-28 e 30-27)

Fonte: Globo esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *