- Esportes

Dimitrov surpreende Federer com virada emocionante e vai à semifinal do US Open

Nem o mais pessimista torcedor de Roger Federer imaginaria uma derrota nas quartas de final do US Open nesta terça-feira. O suíço tinha pela frente Grigor Dimitrov, adversário que tinha vencido nas sete vezes em que eles se enfrentaram no circuito. Dessa vez, no entanto, o búlgaro esteve em alto nível, aproveitou os momentos de oscilação e o cansaço no fim do atual número 3 do mundo e conseguiu uma incrível vitória por 3 sets a 2, de virada, com parciais de 3/6, 6/4, 3/6, 6/4 e 6/2, em 3h12.

Essa é a terceira vez que Dimitrov alcança a semifinal de um torneio de nível Grand Slam. Nas outras vezes, em Wimbledon 2014 e no Aberto da Austrália de 2017, o búlgaro acabou derrotado e não avançou à final. Na próxima fase, ele encara o russo Daniil Medvedev (5º do ranking), que bateu Stan Wawrinka mais cedo com vitória por 3 sets a 1.

Ex-número 3 do mundo, Dimitrov viveu períodos turbulentos desde a última temporada. Atualmente, é apenas o 78º do ranking mundial. Sua campanha no US Open até aqui, no entanto, o vai alçando ao 25º na classificação da ATP.

Federer pareceu incomodado desde o segundo set com o ritmo do jogo e com a umidade em Nova York. O suíço vinha reclamado de seus jogos noturnos nas duas primeiras rodadas, quando teve dificuldades contra Sumit Nagal e Damir Dzumhur. Nos jogos seguintes, ele atuou na sessão diurna do US Open e teve desempenho bem melhor, batendo Daniel Evans e David Goffin sem dificuldades. Pentacampeão, Federer não chega a uma semifinal do torneio desde 2015.

O jogo
Começo afiado de Federer

Diferente dos jogos contra Nagal e Dzumhur, Federer começou a partida bem, com o saque afiado e em cima das devoluções de Dimitrov. Rapidamente, fez 3/0 no primeiro set e comandou a parcial, sem levar sustos. Com poucos erros e 85% dos pontos aproveitados com o primeiro serviço, fez 6/3 em 29 minutos, sem enfrentar break points.

Oscilada no segundo set

Foi no segundo set, porém, que Federer começou a oscilar. Logo no segundo game, precisou salvar break point e, no sexto, acabou levando uma quebra de Dimitrov, que abriu 5/2 na parcial. À vontade, o búlgaro ia bem nas trocas de bola e esperava os erros de Federer. Quando sacou para fechar a parcial, Dimitrov falhou e levou a quebra. Mas, em mais um game de saque mal jogado, o suíço devolveu a gentileza e viu o rival empatar o jogo com 6/4.

Federer volta a dominar

A fórmula do terceiro set foi a mesma do primeiro. Federer passou a errar menos e a encaixar melhor seus saques (fez 93% dos pontos com o primeiro serviço). Desta forma, o suíço dominou a parcial, conseguiu duas quebras, salvou dois break points e praticamente não sofreu para conseguir a vitória em 6/3, perdendo apenas cinco pontos com seu saque ao longo de todo o set.

O quinto set começou com Dimitrov afiado, abrindo uma quebra logo no primeiro game e conseguindo manter o serviço para abrir 2/0. O suíço ainda mostrou que tinha lenha para queimar, não se entregou e salvou nada menos que sete break points no sétimo game para se manter vivo. Federer foi para cima no 4/5, na esperança de brigar ainda pelo set. Porém, o búlgaro jogou com uma raça incrível, encaixou bons serviços e se salvou de cinco chances de quebra para conseguir levar a parcial em 6/4, empatando o jogo novamente.

Federer sente e sucumbe no fim

Na virada para o quinto set, Federer pediu atendimento médico e foi para o vestiário. Era o prenúncio do que viria na sequência. O suíço já parecia entregue, muito mal fisicamente e errando demais. Rapidamente, Dimitrov conseguiu duas quebras e confirmou seus serviços sem problemas, abrindo 4/0. Daí para frente, coube ao búlgaro apenas administrar a vantagem para selar a vitória com 6/2.

Fonte: Globo esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *