- Esportes

Em outra ação, Fred cobra R$ 3,3 milhões do Cruzeiro por direitos de imagem; Justiça permite parcelamento

Além do processo que move na Justiça do Trabalho contra o Cruzeiro, em que discute o pagamento de R$ 71 milhões que lhe considera devido, o atacante Fred também trava outra batalha judicial com o clube mineiro, cobrando o pagamento de direitos de imagem, acordados em R$ 2,49 milhões, mas que se transformaram em 3.354.726,07 no pedido, por causa de multas e juros por atraso, além de correções.

O processo foi distribuído em 31 de março deste ano, mas só teve uma primeira decisão em 6 de julho, com comunicação na semana passada (15 de julho). A decisão da 19ª Vara Cível determinou o pagamento integral do débito em três dias ou uma forma mais facilitada ao Cruzeiro. Além disso, determinou a queda do sigilo do processo, deferido anteriormente.

Num prazo de 15 dias após a comunicação da Justiça, o Cruzeiro poderia oferecer embargos, questionando a decisão, ou iniciar o pagamento do valor em até seis vezes (com juros de 1% e correção monetária), mas desde que depositasse um sinal de 30% do valor (R$ 1,2 milhão aproximadamente) no início do parcelamento. O prazo para embargos ainda está correndo.

Caso o pagamento não seja feito, a Justiça determinou que seja procedida a penhora e a avaliação dos bens do Cruzeiro para garantia da execução da determinação da Justiça.

O contrato de direitos de imagem do atacante foi feito entre Cruzeiro e a Seven Sports Empreendimentos e Participações LTDA, cujos sócios são Fred e o irmão, Rodrigo Chaves de Melo. O contrato foi assinado em 22 de dezembro de 2017, antes mesmo da comunicação pelo Atlético-MG da rescisão de contrato com Fred, um dia depois. A proposta ao jogador também chegou antes da rescisão no BID, que saiu em 18 de dezembro, um dia depois da formalização do interesse cruzeirense.

O pagamento foi acertado da seguinte forma: 20 parcelas, a começar em 20 de março de 2018, no valor de R$ 124,5 mil. Entretanto, a defesa de Fred argumenta que o Cruzeiro pagou apenas parte da primeira parcela no valor de R$ 113.108,25. Segundo a defesa de Fred, houve tentativa de acerto amigável, mas não se teve êxito na tentativa. Uma “prova” da argumentação foi anexada ao processo.

O Cruzeiro ainda fechou, no momento do acordo, um pagamento ao empresário de Fred, Francis Melo. Uma planilha de controle de pagamentos do clube, obtida pela reportagem, está previsto o pagamento de R$ 906.500,00 para a Francis Melo Assessoria e Gestão, empresa responsável por gerenciar a carreira de Fred, em pagamentos divididos em sete parcelas de R$ 129.500,00 cada uma em 2019.

Na Justiça do Trabalho…
O Cruzeiro contestou a decisão liminar que determinou a rescisão unilateral do contrato com o atacante. O clube ainda requisitou a inclusão dos ex-dirigentes, Wágner Pires de Sá e Itair Machado, como responsáveis solidários pelo pagamento dos valores, em caso de condenação, inclusive da multa dos R$ 10 milhões, requisitadas pelo rival Atlético-MG.

A discussão da multa já teve uma vitória do Atlético na CNRD e agora aguarda decisão no Centro Brasileiro de Mediação e Arbitragem (CBMA), o que deve ocorrer nos próximos meses. Fred atua pelo Fluminense, neste momento, que monitora a discussão, na esfera trabalhista, entre o atacante e o ex-clube.

Fonte: Globo esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *