- Esportes

Expulsão tira Mano de coletiva; auxiliar exalta vitória do Cruzeiro na Argentina: “É pra poucos”

Mano Menezes conduziu o Cruzeiro à vitória na estreia do time na Copa Libertadores. Um resultado importante, 1 a 0 sobre o Huracán, na Argentina. Porém, Mano não pôde analisar o triunfo. O treinador foi expulso aos 44 minutos do segundo tempo, após reclamar da arbitragem. Coube então ao auxiliar técnico do Cruzeiro, Sidnei Lobo, explicar como a equipe construiu a arrancada positiva na principal competição de clubes da América do Sul.

E Sidnei Lobo não poupou elogios ao time. Debaixo de muita chuva, com o gramado pesado, no campo do adversário, o Cruzeiro balançou as redes com Rodriguinho ainda no primeiro tempo, aos 29 minutos. Na etapa final, suportou a pressão dos argentinos. Mais uma vez, o goleiro Fábio, quando exigido, fez sua parte e garantiu os três pontos para a Raposa.

– Você estrear em uma competição como essa, estrear com vitória, é pra poucos, principalmente aqui na Argentina. A proposta de jogo foi interessante, porque a gente vinha desenvolvendo nos treinos. Foi um jogo, de certo ponto, atípico, por causa da chuva na primeira etapa, que atrapalhou um pouquinho nossas pretensões de ficar mais com a posse. Mas, diante das circunstâncias, soubemos jogar o jogo. Essa competição é assim, você tem de estar preparado até o final do jogo, foi isso que aconteceu.

Sidnei Lobo explicou ainda o que aconteceu na expulsão do técnico Mano Menezes, aos 44 minutos do segundo tempo. Nos minutos finais, Rafinha tentou salvar uma bola na linha lateral, mas acabou quase debaixo do banco de reserva e ficou caído, reclamando de dores. O árbitro mandou o jogo reiniciar imediatamente, o que revoltou Mano.

– Já tinha acontecido com nosso adversário, o próprio treinador, os auxiliares, os atletas que estavam no banco. Como fica muito próximo o banco para o campo, qualquer passo você já está dentro do campo. Eles tiveram isso, se for ver a imagem, o treinador deles também entrou em campo, por uma reclamação ou outra, e aconteceu com Mano. O juiz não teve paciência. O importante foi o resultado.

Enquanto esteve em campo, Mano tomou uma decisão, segundo Sidnei Lobo, essencial para o Cruzeiro defender a vitória fora de casa. Aos 29 minutos da etapa final, ele sacou Rodriguinho para a entrada do zagueiro Fabrício Bruno.

– A gente queria fazer o segundo, mas estava difícil. Eles empurraram, jogavam dentro de casa, a pressão era natural. Depois, colocaram mais um atacante de área. A estratégia do Mano foi brilhante, de colocar mais um zagueiro, já fechava com três. Eles estavam desesperados e acabaram jogando bolas na área. A estratégia era essa. Gostaríamos de ter mais posse de bola, mas enfrentamos um adversário que está jogando em casa. Tivemos até chances de fazer o gol, mas não concretizamos.

Fonte: Globo esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *